Aracaju, 28 de novembro de 2021

Boletim Epidemiológico mostra redução dos casos Dengue, Chikungunya e aumento de Zika em relação ao ano passado

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Secretaria de Estado da Saúde apresenta boletim sobre a situação epidemiológica das arboviroses transmitidas pelo Aedes Aegypti: Dengue, Chikungunya e Zika. Em relação ao quantitativo de pessoas que tiveram as arboviroses no mesmo período de 2020, os dados revelam uma diminuição nos casos de Dengue e Chikungunya e considerável elevação dos casos Zika.

Segundo as informações disponibilizadas pelo Sinan Online e Sinan Net, no período analisado pelo Boletim epidemiológico que vai de 03 de janeiro a 06 de novembro (1 a 44 Semanas Epidemiológicas), em 2020 foram notificados 4.983 casos de Dengue, 4.631 de Chikungunya e 464 de Zika. Neste ano, os casos de Dengue notificados foram 3.570, de Chikungunya foram 5.079 e Zika totalizam 804. Sobre os casos prováveis, traçando um comparativo com um ano atrás, o boletim revela que foram 1.770 casos de Dengue, 3.569 de Chikungunya e 159 de Zika, enquanto que, em 2001, os casos prováveis de Dengue são 974, de Chikungunya 3.014 e de Zika contabilizam 396. Os casos confirmados para as arboviroses, em 2020 foram 1.759, de Chikungunya 3.569 e Zika 159, já em 2021 as confirmações para Dengue foram 595, 2.535 pessoas tiveram Chikungunya e 277 foram as confirmações de casos de Zika.

“O boletim vem justamente apresentar uma análise dos números das arboviroses dengue Chikungunya e Zika, fazendo uma análise do início do ano, desde da primeira semana epidemiológica até a quadragésima semana, tendo em vista que o ano ainda não encerrou. Verificamos que houve uma diminuição dos casos de dengue em relação a 2020, relativos à Chikungunya, embora o número de casos seja significativo em 2021, houve uma redução comparativamente ao ano passado. Em relação à Zika, ocorreu um número maior que em 2020, mas não consideramos um surto ou epidemia”, explica Sidney Sá, gerente do Núcleo de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde.

Dos 75 municípios sergipanos, 66 registraram casos, o que corresponde a 88% do território e 9 deles, ou seja 12%, não possuem registro de casos suspeitos. As cidades de Cedro de São João, Malhada dos Bois e Malhador possuem as mais altas taxas de incidência. A gerente Sidney Sá ressaltou que esse trabalho de monitoramento, tem a finalidade de orientar ações de vigilância, prevenção e controle da Dengue, Chikungunya e Zika em todo o estado. Além disso, possibilita a execução de ações para controlar a situação epidemiológica em todo o território. “ A SES vem desenvolvendo ações sistemáticas para conter esse vetor, o mosquito, principalmente, com o verão que se aproxima. A secretaria vem trabalhando com o carro fumacê para conter a população desse vetor na fase adulta, já passamos por 3 municípios, estamos encerrando mais dez cidades e programando outras localidades para dezembro, desse modo, vamos nos somando aos agentes de endemias que já fazem um trabalho diário nos municípios”, enfatiza.

Informações e foto SES

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Arquiteta fala sobre mudanças nos lares durante a pandemia
Inscritos no Enem fazem neste domingo segundo dia de provas
Covid-19: Aracaju vacinou 17.398 mil pessoas nesta semana
Vice-governadora conhece serviços da Casa Mulher em Itabaianinha