Aracaju, 5 de dezembro de 2021

Estudantes se mobilizam em defesa do Fies e de seus beneficiados

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) estiveram reunidos no gabinete do deputado federal João Daniel (PT/SE) para reforçar a mobilização em apoio ao projeto de lei 1133/21, que prorroga a suspensão temporária das parcelas de amortização do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e está pronta para pauta, mas ainda não foi colocado para votação pelo presidente da Câmara, Arthur Lira.

A presidente da União Catarinense das e dos Estudantes (UCE), Vitória Vito, e o advogado João Pedro Sansão relataram que por conta da alta do desemprego, a crise social e econômica que o país atravessa é preciso combater o endividamento dos estudantes que se encontram inadimplentes com o Fies. Milhares de jovens estão desempregados.

Cerca de 77% dos desempregados brasileiros são jovens de 14 até 24 anos, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de desemprego entre os jovens de 14 a 17 anos chegou a 46,3%, o maior percentual da série histórica e de 18 a 24 anos, o desemprego afeta 31% das pessoas.

Os jovens têm enfrentado profundas dificuldades ao sair da universidade, sobretudo com o agravamento da crise econômica, já diagnosticada após o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, no governo Michel Temer que, inclusive, cortou 95% das verbas de programas sociais, incluindo programas como o Fies e Programa Universidade para Todos (Prouni). A crise aumentou ainda mais com o governo Bolsonaro e sua política de austeridade fiscal que deu sequência aos ataques contra a Educação e os programas sociais, que afetam os mais pobres.

Além de reduzir, ainda mais, a concessão do Fies, em abril deste ano o ministro da Economia, Paulo Guedes, chegou a declarar que o Fies deu bolsas em universidades para “todo mundo”, até para “filho de porteiro”. Segundo o ministro, o programa financiado pelo governo federal foi um “desastre”, o que demonstra a forma como o governo federal enxerga o programa de financiamento estudantil que já beneficiou mais de três milhões de estudantes brasileiros de baixa renda que, graças ao programa, podem pagar a mensalidade da universidade privada e assim conquistar um diploma de nível superior.

*Altera regras*

Também tramita na Câmara, em caráter conclusivo, o projeto de lei 3362/20, de autoria do deputado João Daniel, que altera regras do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), o chamado “Novo Fies” que, dentre outras medidas, altera legislação para restringir em no máximo 30% o comprometimento da renda mensal do beneficiário.

“Em 20 anos de existência, esse benefício auxiliou mais de 3 milhões de estudantes e deve ser encarado como uma política pública de acesso, como investimento estatal e não como uma mera relação comercial de empréstimo bancário que visa apenas o lucro, como encara esse projeto neoliberal que se instalou desde o governo Temer”, afirmou João Daniel.

Foto assessoria

Por Thiago Dhatt

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Assédio é principal violência a meninas em ambiente virtual
Entenda as novas regras da Tarifa Social de Energia Elétrica
Simão Dias receberá Centro de Especialidades Médicas e Base do Samu  
Espetáculo circense é uma das atrações do Natal Iluminado