Aracaju, 27 de novembro de 2021

Sorrindo para vida: iniciativa beneficiou mais de 50 crianças

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Com o objetivo de acompanhar o crescimento e desenvolvimento de crianças com microcefalia, especialmente quanto à saúde bucal — identificando e tratando precocemente possíveis alterações —, a Universidade Tiradentes (Unit), por meio do curso de Odontologia, desenvolve o projeto Sorrindo para a vida. O projeto teve início ainda em 2015, após o surto do Zika vírus no Brasil. Sensibilizada pela causa dos recém-nascidos, a docente Saione Cruz idealizou o projeto e convidou a professora Aline Soares para desenvolvê-lo.

“O projeto é de grande importância, pois nos permite acompanhar de perto os cuidados com a saúde bucal da criança e, consequentemente, proporcionar a ela uma atenção de forma geral, pois a saúde começa pela boca”, comenta a odontopediatra e uma das responsáveis pelo projeto, professora Aline Soares.

O projeto oferece todo o tratamento odontológico, de forma gratuita, assim como serviços multidisciplinares, como palestras com profissionais voluntários de outras áreas da saúde e afins. “Contamos com o apoio de nutricionistas, fonoaudiólogos e psicólogos, todos empenhados em contribuir para a qualidade de vida dessas crianças e suas famílias”, enfatiza.

Desde o início do projeto já foram atendidas mais de 50 crianças. “Os atendimentos variam de acordo com a necessidade de cada criança. Alguns retornavam mensalmente, outros a cada dois, quatro ou seis meses. Mas as famílias continuam sendo assistidas de forma multidisciplinar, participando de palestras e dinâmicas, promovidas pelo projeto em parceria com outras áreas da saúde”, destaca a odontopediatra. Com a pandemia do novo coronavírus, o projeto foi suspenso temporariamente. “A importância social é muito grande, pois essas crianças carecem de serviço odontológico especializado. Além de a maioria ser de família de baixa renda, o projeto oferece atendimento gratuito. Conseguimos também abranger o atendimento e nos tornarmos referência para Alagoas e Bahia”, acrescenta.

Aline Soares destaca o papel da Odontologia em pacientes com microcefalia. “O cirurgião-dentista deve conhecer as características craniomaxilofaciais desses pacientes, bem como os achados bucais, para promover saúde e qualidade de vida a eles”, frisa. “A prevenção continua sendo o melhor caminho, especialmente em pacientes portadores de algum tipo de deficiência”, finaliza.

Assessoria de imprensa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Políticos e lideranças defendem Mitidieri e só a “bolha” prefere Edvaldo! 
Beneficiários da tarifa social terá bandeira verde em dezembro
PC prende investigado por homicídio praticado em São Cristóvão
Espetáculo  Parada de Natal é uma das atrações deste sábado