Aracaju, 5 de dezembro de 2021

Huse: Investimentos em novas tecnologias refletem na melhor assistência ao paciente ostomizado

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
De janeiro a outubro deste ano,  o hospital registrou 510 avaliações entre colostomias, gastrostomias, jejunostomia, ileostomias, cistostomias e traqueostomias

Capacitações, treinamentos, investimentos em novas tecnologias, insumos e medicamentos de qualidade se refletem numa melhor assistência ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). Esse é o pensamento do Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), quando o assunto é cuidado ao paciente ostomizado que é atendido no Hospital de Urgências de Sergipe Governador João Alves Filho (Huse). De janeiro a outubro deste ano,  o hospital registrou 510 avaliações entre colostomias, gastrostomias, jejunostomia, ileostomias, cistostomias e traqueostomias.

A enfermeira da Comissão de Pele do hospital, Mônica Rabelo, destaca que todo o investimento aplicado este ano para o tratamento do paciente ostomizado foi muito positivo. “Realizamos muitos cursos, integramos tecnologias novas e isso fez com que tivéssemos uma melhora na qualidade do atendimento a esse paciente ostomizado. Nosso maior procedimento é o de traqueostomia, seguido de colostomia”, explicou a enfermeira.

No Dia Nacional dos Ostomizados, celebrado em 16 de novembro, o alerta maior é para o fim do preconceito. Essa data serve de alerta a população para respeitar, conhecer e combater o preconceito contra a comunidade de ostomizados e a informação ainda é o melhor meio, como explica Mônica Rabelo. “Conscientizar as pessoas que convivem com ostomizados para deixar o preconceito de lado e ajudar as pessoas que passam por esses desafios é fundamental e serve de apoio para o paciente”, enfatizou.

O aposentado José Monteiro, 71, é paciente oncológico e foi diagnosticado com um câncer no reto. Ele precisou fazer uso de uma bolsa de colostomia, mas com a ajuda dos familiares conseguiu vencer o preconceito e levar uma vida normal. “Até eu tinha muita vergonha, depois de conversas com a psicóloga aqui mesmo do hospital eu fui abrindo a minha mente e consegui levar essas informações para meus familiares. Hoje sigo meu tratamento e uma vida tranquila, as pessoas devem aprender a respeitar essa nova condição de vida”, pontuou o aposentado.

No Huse, a atuação da Comissão de Pele, vem reduzindo a cada ano as incidências de lesões de pele e complicações dos pacientes com o uso de dispositivos (kits) e coberturas para prevenção, através de empresas parceiras. Por ser um hospital referência e de grande porte, o Huse conta com pacientes com traumas extensos e a tecnologia veio agregar para que os profissionais conseguissem melhorar o paciente mais rápido e desospitalizá-lo mais rápido também.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Alessandro protocola novo pedido para instalação de CPI sobre Orçamento Secreto
Valadares Filho reeleito presidente estadual do PSB e Rogério exalta aliança em construção com o PT para um projeto forte
Natal Iluminado: programação contempla música e oficinas neste sábado. São mais de 4,5 mi de pontos de luz enfeitando
ABIH-SE promoverá 2ª edição do road show Viva Aracaju