Aracaju, 29 de novembro de 2021

PMA retoma feirinha agroecológica do projeto Cultivando Cidadania

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Prefeitura de Aracaju retomou, nesta quinta-feira, 18, a “Feirinha Agroecológica”, uma realização da Gerência de Segurança Alimentar e Nutricional da Secretaria Municipal da Assistência Social. Nesta feira, são comercializadas hortaliças e folhosas sem agrotóxicos, plantadas e cultivadas pelos participantes do projeto Cultivando Cidadania.

Atualmente, o projeto conta com participação comunitária da quadrilha junina “Xodó da Vila”, composta por pessoas que residem no Jardim Esperança, local onde uma das hortas comunitárias é cultivada. A realização da Feira estava suspensa em decorrência das medidas de enfrentamento à pandemia.

Nesta edição, a Feirinha Agroecológica contou com grande adesão dos servidores municipais. Preços acessíveis, produtos saudáveis e de qualidade são características que marcaram a retomada. Além disso, toda a renda gerada com as vendas é repassada para as pessoas que cuidam e cultivam os produtos diariamente nas hortas, as quais estão incluídas no Cadastro Único (CadÚnico).

De acordo com a secretária adjunta da Assistência Social de Aracaju, Selma França, o retorno dessa feira é motivo de alegria e de garantia de renda extra para pessoas que mais precisam.

Ela destaca que, nesta edição, antes do início oficial, já havia pessoas comprando. “Sentimos a felicidade estampada no rosto do pessoal que cuida das hortas e agora pôde retomar as vendas, eles fazem um trabalho muito bonito e cuidadoso em conjunto com toda a equipe da Gerência de Segurança Alimentar. Me sinto orgulhosa de poder trazer de volta a feirinha para que cada um deles possa levar uma renda extra para casa. São produtos fresquinhos e sem agrotóxicos para que, quem compre, leve saúde pra casa”, destacou a secretária adjunta.

Segundo o coordenador e presidente da instituição “Xodó da Vila”, Etelvan Santos, a adesão por parte dos compradores foi fundamental para as pessoas que estão no dia a dia nas hortas. Esta foi a primeira feirinha com participação da instituição.

“É uma satisfação estar participando do projeto da horta, realmente deu um resultado muito bom com essa parceria com aPprefeitura. Importante para as pessoas que participam em poder levar para casa uma renda a mais, além de poder, também, consumir semanalmente aquilo que é produzido. Todos os produtos são sem agrotóxicos, o que é muito importante para a saúde de quem consome”, afirmou.

Felicidade em contribuir

Servidora municipal, Maria José Barbosa adquirir alguns produtos e elogiou o projeto. “Gostaria de parabenizar todo o pessoal que planta e cuida dos produtos pela iniciativa da horta comunitária e também da feirinha. É muito maravilhoso. Gostaria de parabenizar primeiro pela iniciativa, em poder ter produtos saudáveis, segundo pela questão financeira. Por essas pessoas que estão trabalhando neste momento tão delicado que o nosso país passa, pela pandemia, pelas pessoas terem que arrumar meios de sobreviver, este trabalho é belíssimo. Parabenizo toda a equipe e as pessoas da comunidade que estão à frente do projeto”, disse.

Cultivando Cidadania

O objetivo principal do projeto Cultivando Cidadania é fornecer hortaliças e folhosas, sempre de maneira orgânica, para pessoas de baixa renda residentes em Aracaju e que estejam incluídas no CadÚnico, para que possam ser utilizadas para consumo próprio e também como uma opção de renda extra.

O projeto é executado pelo Município em conjunto com grupos comunitários, composto por pessoas que residem nos bairros onde as hortas se encontram. No geral, são plantadas sementes de batata, macaxeira, cebolinha, pimenta, hortelã graúdo, tomate, inhame, amendoim, couve, rúcula, beterraba, cenoura e berinjela.

Atualmente, as hortas estão localizadas nos bairros Jabotiana (comunidade Aloque), Santa Maria, Cirurgia e Olaria. Além disso, há hortas cultivadas na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Presidente Tancredo Neves, no bairro Ponto Novo; nos abrigos socioassistenciais Caçula Barreto e Sorriso; no Centro de Integração Raio de Sol (Ciras) e no conjunto Jardim Esperança, na antiga Unidade de Qualificação Profissional (UQP) da Fundação Municipal de Formação para o Trabalho (Fundat).

Fonte e foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

39 famílias retiradas de casas em áreas de risco após fortes chuvas em Canindé de São Francisco
Estudantes  universitários de Carira recebem ônibus adquirido com emenda de Alessandro Vieira
Hospital de Urgências de Sergipe abre processo seletivo de 16 vagas para Residência Médica
Gracinha participa de 24ª Conferência Nacional da Unale