Aracaju, 3 de dezembro de 2021

Caminho incerto em rotas tortas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Diógenes Braynerdiogenesbrayner@gmail.com

Os bastidores políticos estão bem antenados na sucessão estadual. Embora se mantenha em pausa na superfície, as conversas se ampliam em encontros dos prováveis candidatos a governador, junto às bases eleitorais, principalmente em cidades de médio e grande portes. O governador Belivaldo Chagas ainda não sinaliza para uma primeira reunião da aliança, a fim de levar à discussão de como será feita à escolha, entretanto o pré-candidato do PT, senador Rogério Carvalho, se articula junto a apoiadores, inclusive promovendo encontros em residências e levando com ele setores do marketing que aferem chances.

O bloco petista avalia vitória de Rogério em Sergipe e alegam uma razão forte: candidatura de Lula a presidente da República. Têm certeza que não haverá um único voto no ex-presidente que também não seja marcado para o senador. Não há dúvida quanto ao apoio de Lula a Rogério, de tal forma que um membro do PT, integrante da comitiva do pré-candidato à sucessão no Estado, falou com convicção que “nem Marcio Macedo mudaria essa posição do líder maior do partido no Brasil”. Não deu para entender o “porquê de Marcio Macedo”, mas se entende que o objetivo é fortalecer a declaração.

Os candidatos a pré-governador pela base aliada são os mesmos – Fábio Mitidieri, Edvaldo Nogueira, Laércio Oliveira e Ulices Andrade – que também não estão parados. Não se excedem porque esperam uma definição do governador Belivaldo Chagas, mas fazem a “chamada política entre amigos e aliados”, que de todas as formas movimentam suas bases eleitorais. Alguns deles acreditam que dezembro será o mês da abertura das reuniões, entre lideranças da base aliada, para indicação de quem eles consideram o melhor para disputar a sucessão estadual. Mas há quem acredite que esse anúncio será adiado para depois do carnaval. Entretanto, o governador ainda admite que o momento seja de ouvir mais do que falar e iniciar o processo de escolha sem precipitações.

Dentro da base aliada não há dúvida do apoio de Lula a Rogério, mas há quem imagine que o ex-presidente não será tão incisivo em suas posições, porque tem consciência que o bloco esteve sempre com ele nas eleições anteriores e continua consciente da margem de voto que ainda mantém nessa aliança que se iniciou com o ex-governador Marcelo Déda em anos anteriores, quando o PT integrava e liderava o bloco. Entretanto, a maioria dos petistas tem certeza que isso passou e que o ex-presidente Lula reconhece que o partido precisa retornar ao comando político do Estado.

Um fato recente desencantou parte dos integrantes do PT: a decisão do PL em não se aliar a nenhum partido de esquerda. Um dos seus membros disse que as conversas com o ex-prefeito Valmir de Francisquinho (PL), de Itabaiana, estavam avançadas e lamentou que com essa nova orientação do partido a composição se complica. Mas, um outro petista interrompeu a conversa e levantou a lebre: “e se Francisquinho resolver trocar de sigla?” Tudo na base da possibilidade, sem que haja nada de concreto para que esse questão dos liberais aconteça, até porque se fala em Brasília que o presidente do PL, Waldemar da Costa Neto, “quer Bolsonaro no partido para eleger um maior número de parlamentares e ficar com Lula se eleito presidente”.

Muitos comentários e tudo ainda sem certeza do que possa acontecer num pleito em que o ex-juiz Sérgio Moro (Podemos) começa a dar sinais de crescimento. Uma incógnita afinal…

Bosco Costa a Governo
O deputado federal Bosco Costa (PL) diz que caso Valmir de Francisquinho não aceite disputar o Governo, o seu nome estará à disposição do partido.

*** – Sou candidato à reeleição em 2022, mas também sou um soldado do partido. Se for convocado para disputar outro cargo, não terei dificuldade em pensar, disse.

*** Segundo Bosco, quem está na política não deve ter medo de enfrentar qualquer batalha. “Havendo convite para disputar o Governo não vejo qualquer dificuldade. Não tenho medo”, garante.

Lembra ano de 2002

Bosco lembrou que em 2002 era presidente da Assembleia Legislativa e tinha sua candidatura arrumada para disputar o terceiro mandato de deputado estadual, quando foi convidado para ser candidato a governador e aceitou.

*** – Depois não me quiseram e colocaram o senador Francisco Rollemberg. Fui candidato a deputado federal e me elegi, disse.

Ouvir mais que falar

O governador Belivaldo Chagas (PSD) não fala ainda publicamente sobre sucessão estadual. Cuida de projetos administrativos e de levar adiante questões do Estado.

*** Entretanto, em encontros com lideranças políticas, deixa passar algumas opiniões sobre a indicação do candidato a governador pela base aliada.

*** Mas acha que o momento é de ouvir mais do que falar e iniciar o processo sem precipitações…

Se passar selado…

Prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT) trabalha firme como presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP). Esteve em Brasília onde convidou ministros e parlamentares para 81ª Reunião Geral da FNP, que acontecerá dias 25 e 26 em Aracaju.

*** Vai movimentar a cidade com o turismo de eventos, mas tem gente avaliando que Edvaldo está fazendo campanha para ser o candidato da base aliada a governador.

*** Edvaldo não fala em disputar mandato em 2022, “mas se o cavalo passar selado…”

Chamar feito à ordem

O presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo (MDB), é candidato à reeleição, mas está à disposição do grupo para integrar a chapa majoritária. Acha que “Belivaldo Chagas deve chamar o feito à ordem”.

*** É a favor de que até dezembro inicie o processo de escolha da chapa majoritária pela base aliada, que terá o seu aval.

*** Admite que a oposição esteja começando a se movimentar sobre isso e toma fôlego, embora sem demonstrar força para composições.

Rogério prepara projeto

Aliados e eleitores firmes do senador Rogério Carvalho (PT), pré-candidato a governador, dizem que ele tem caminhado mais do que “cobra caninana”.

*** Segundo uma fonte do PT, o senador Rogério Carvalho neste momento está bem focado no planejamento de campanha e projeto de Governo.

*** A informação é que o senador iria conversar com técnicos como João Andrade – ex-presidente do Banese – sobre plano econômico e Genival Nunes sobre o meio ambiente.

André tem sido aliado

O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), pré-candidato a governador, diz que tem conversado sempre “com nossa base”.

***Reconhece que “tudo está caminhando como tem que ser. A partir do mês que vem, a coisa começa a se definir”, admite.

*** Segundo Fábio, o ex- deputado federal André Moura tem sido um “aliado importante e muito leal. Tem a nossa preferência para o Senado”.

Questão de São Cristóvão

O governador Belivaldo Chagas, ao lado do secretário Geral do Governo, José Carlos Felizola, esteve com o deputado estadual Capitão Samuel, ontem à tarde.

*** O objetivo da audiência foi tratar das demandas da segurança pública. Também conversaram sobre a política em São Cristóvão.

*** O governador teria gostado da disposição do bloco formado pela oposição, em desejar dialogo no sentido de apoiar candidato à sucessão indicado pelo grupo, já que o prefeito de São Cristóvão, Marcos Santana, anunciou que apoia Rogério Carvalho (PT).

Problemas crescem

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) admite que “os problemas seguem crescendo e se acumulando no Brasil. Fome, desemprego, inflação, corrupção…”.

*** Para ele, “as soluções reais só serão construídas com diálogo, tolerância e ciência, ou seja, com política de verdade, não essa mistura de desvios, preguiça e boçalidade que testemunhamos”.

Sobre a Petrobras

O senador Rogério Carvalho (PT) disse que “na pandemia, o barril do petróleo caiu a US$ 20 e essa queda não foi repassada ao povo para garantir o lucro de poucos acionistas privados da Petrobras, que são fundos com muita influência no Governo”.

*** E conclui: “Se Bolsonaro quisesse, ele já teria resolvido esse problema”.

Encontro no Agreste

O senador Rogério Carvalho (PT) vai promover na próxima segunda-feira um encontro de lideranças e prefeitos do Agreste, na cidade de Itabaiana.

*** Na pauta a discussão de questões regionais e uma espécie de prestação de contas do mandato do senador nestes três anos.

*** Nos bastidores, as conversas políticas vão acontecer para valer…

Giro pelas redes sociais

Álvaro Dias – Além da sabatina de André Mendonça, nada menos do que 217 projetos de lei estão parados na Comissão de Constituição e Justiça, pendentes de análise.

Marcelo Backes – Até Eliane Cantanhêde está sabendo resumir a polarização: “Bolsonaro é um fiasco e Lula é um sucesso.”

José Roberto Beolchi – Os petistas estão muito confiantes de que a discussão política sobre as condenações de Lula será como a discussão que se travou nos tribunais.

Nanifsouza – A Jovem Pan é um “jornalismo” que espalha desinformação, mentiras e que só sabe lamber o saco do “presidente” Bolsonaro.

Blog do Noblat – Governo aceita tornar Auxílio Brasil de R$ 400 permanente e fatiar PEC dos Precatórios para facilitar acordo no Senado.

Ananias Oliveira – Quem é General da Reserva de Exército Guilherme Cals Theóphilo Gaspar de Oliveira? Qual a relação dele com Moro e Tasso Jereissati?

TV Cultura – O estudo, que analisou mais de 30 pesquisas em todo o mundo, avaliou intervenções não farmacêuticas contra a Covid-19.

Revista Fórum – Inep coloca sob sigilo processo que permitiu entrada da PF em sala reservada do Enem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Linda Brasil aprova em primeira discussão projeto que exige de intérprete de Libras
Dra. Paula Saab recebe Moção de Aplausos da Câmara Municipal de Aracaju
Alessandro Vieira trabalhou de forma intensa para melhorias na PEC dos Precatórios
TRE-SE cassa mandato do deputado federal Valdevan Noventa em votação unânime, mas cabe recurso junto aoTSE