Aracaju, 1 de dezembro de 2021

Novo livro do psicanalista Ricardo Azevedo Barreto homenageia profissionais de saúde

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

“O Estetoscópio encantado em pandemia detrás das máscaras” destaca o cuidado, a dedicação e o amor dos profissionais da saúde

Uma prosa poética que destaca o cuidado, a dedicação e o amor dos profissionais da saúde. Assim é o livro “O Estetoscópio encantado em pandemia detrás das máscaras”, do psicanalista Ricardo Azevedo Barreto. A obra será lançada em um evento especial que acontece nesta terça-feira, 23, das 18h às 22h, na Galeria de Arte Mário Britto, em Aracaju.

Segundo Ricardo Azevedo Barreto, os profissionais de saúde foram afetados pela pandemia da covid-19 por diversos ângulos. “O campo da saúde é um lugar de afetos. Os profissionais da saúde têm demonstrado funções muito amplas nas possibilidades de construção da dignidade humana no mundo pandemizado e com tantas adversidades de modo multifatorial, o que é louvável”, pontuou.

Filho do médico José Augusto Barreto, uma referência na medicina e incentivador do empreendedorismo médico em Sergipe, o psicanalista Ricardo Azevedo Barreto destaca em seu livro a importância da sensibilidade do profissional da saúde.

“No mundo pandêmico e com máscaras, a ideia foi ressaltar, através de uma prosa poética, o cuidador sensível com a singularidade de transformar o mundo. Vejo esse dom de forma exemplar em meu pai, Dr. José Augusto Barreto, e no meu amigo, Dr. José Roquennedy Souza Cruz, ambos muito queridos e nas melhores memórias do coração”, disse o psicanalista.

Sobre a obra

Após o sucesso do livro de poesia “O Sol Ruivo em Pandemia”, lançado em junho deste ano, o psicanalista Ricardo Azevedo Barreto segue escrevendo sobre o mundo pandêmico e com máscaras. “’O Estetoscópio encantado em pandemia detrás das máscaras’ é, por outro lado, uma prosa poética em que o cuidado do mundo é a tônica. A Terra carece de cuidadores raros que operem milagres”, destacou.

O livro exala sensibilidade desde a sua capa, desenhada pela filha do escritor, Lara Barreto, até as ilustrações, também feitas por ela e pela mãe de Ricardo, Dona Ceiça. Assim como o autor busca abrir às múltiplas perspectivas de reflexão e ação no mundo, a obra desafia o leitor em uma brincadeira, podendo ter duas capas ou uma capa e uma contracapa, a depender da ótica de quem lê.

“Penso que cada leitor irá ver com seus olhos algo único. Em um mundo massificado, acordar o sujeito desejante e criativo que reinventa com o coração a Terra a todo instante é uma das dimensões de uma busca contínua de desenvolvimento pessoal e coletivo. O globo terrestre em pandemia necessita de ingredientes incomuns de bondade e altruísmo que desenhem e pintem um novo planeta”, mencionou Ricardo Azevedo Barreto.

Sobre o autor

Ricardo Azevedo Barreto graduou-se em psicologia, fez mestrado e doutorado pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP). É psicanalista do Círculo Psicanalítico de Sergipe e foi presidente do Círculo Brasileiro de Psicanálise (2014-2017), filiado à International Federation of Psychoanalytic Societies (IFPS). Escritor e poeta. Também é autor do livro de poesias “O Sol Ruivo em Pandemia” (2021).

Fonte: divulgação

Por Verlane Estácio

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Construtora Celi e Valor Imobiliária lançam espaço na CasaCor Sergipe
Rodrigo Valadares é eleito a Tesoureiro Nacional do PTB
Transparência do município de Capela obtém nota máxima em avaliação do TCE
Estado e parceiros definem rota turístico-religiosa de Santa Dulce dos Pobres em Sergipe