Aracaju, 5 de dezembro de 2021

Acusado de matar o soldado Genézio Monteiro em cavalgada é condenado a mais de 37 anos prisão

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Luiz Fernando Rocha Santos, acusado de matar o policial militar Genézio Monteiro da Cruz, 30 anos, durante uma cavalgada no Povoado Pedrinhas, município de Areia Branca, no ano de 2019, foi condenado a 37 anos e 11 meses. O júri popular aconteceu nesta terça-feira (23), no Fórum da cidade de Laranjeiras .

Genézio  foi alvejado com um tiro na boca ao tentar conter a ação de um homem armado que iniciou um tiroteio no evento

Genézio Monteiro era lotado no 11º Batalhão da PM, ingressou na corporação em 2014 e atuava como parte do efetivo extraordinário escalado para a festa.

Relembre – o policial militar Genézio Monteiro foi assassinado em serviço durante uma cavalgada, na noite do dia 25 de agosto de 2019, no povoado Pedrinhas, no município de Areia Branca, no agreste de Sergipe.

Genézio foi alvejado com um tiro na boca ao tentar conter a ação de um homem armado que iniciou um tiroteio no evento. O policial chegou a ser socorrido para o hospital, estabilizado, mas sofreu duas paradas cardíacas e não resistiu. Outro policial e uma adolescente também foram atingidos pelos disparos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Mais da metade dos maiores de 18 anos consome bebidas alcoólicas
Assédio é principal violência a meninas em ambiente virtual
Entenda as novas regras da Tarifa Social de Energia Elétrica
Simão Dias receberá Centro de Especialidades Médicas e Base do Samu