Aracaju, 3 de dezembro de 2021

Riachuelo: vereadores prestam homenagem a personalidades

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Em alusão ao Dia da Consciência Negra, comemorado dia 20 de novembro, a Câmara Municipal de Riachuelo realizou a 2ª Sessão Solene de 2021, na noite da última terça-feira, 23. Com o propósito de homenagear cidadãos riachuelenses que contribuíram com a valorização da cultura afro-brasileira, os vereadores receberam, no plenário, diversas personalidades do Município.

De acordo com o vereador Marcondes Hipólito (PDT), essa é a oportunidade do parlamento valorizar a cultura afro, além de intensificar a importância da mesma. “Não poderíamos deixar passar em branco uma data tão importante, essa é a oportunidade que nós temos de valorizar aqueles que nos fizeram povo, porque se não fosse vocês, nós não estaríamos aqui. Convidamos todos vocês, hoje, para dizer que estamos abertos à diálogos”, disse ele.

Complementando o discurso do colega, Urbano Moreira (MDB) subiu à tribuna para agradecer aos homenageados, por valorizarem a cultura e por mantê-la viva no Município. “Parabenizo todos vocês por não deixarem que a nossa cultura morra. Uma sessão não é o suficiente diante da grandeza de vocês. Um país, um estado ou uma cidade que não tem cultura, são lugares atrasados. No caso de Riachuelo, os parabéns são, exclusivamente, para os homenageados desta noite”, parabenizou.

Por sua vez, Marcel Cajueiro (MDB) focou no preconceito que as religiões de matrizes africanas enfrentam diariamente. “Precisamos saber respeitar as diferenças, sendo construtores de uma sociedade mais justa e menos preconceituosa, mais tolerante, menos egoísta, mais igualitária e que contribua para o fim da intolerância religiosa. Sempre apoiei a causa de vocês e sempre que me solicitam, eu atendo. Deixo meu mandato à disposição de vocês”, destacou.

Na tribuna, Sônia Oliveira, integrante da Secretaria de Estado da Inclusão Social e uma das homenageadas da noite, enfatizou que o racismo é um fator estruturante na sociedade brasileira. Conhecedora da causa, ela destacou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que aponta a porcentagem da população negra de Riachuelo. “De acordo com dados do IBGE, o Município de Riachuelo tem cerca de 65% da população declarada preta e parda, segundo dados do último censo realizado em 2010. Ou seja, os vereadores desta Casa foram eleitos por 65% da população afro-riachuelense. Nós temos aqui no Município um grande celeiro da cultura afro, nesta terra nós temos a comunidade quilombola do Quebra Chifre, temos as três grandes expressões afro-religiosas do Estado, Dona Marizete Lessa, o sr. Abacusô e Tonho Mutalambô, ambos em nossa memória. De certa forma, aqui é uma terra sagrada, ancestralmente falando”, evidenciou.

Por fim, todos os homenageados receberam suas moções e agradeceram a Casa pela oportunidade de levar conhecimento e reconhecimento para a população riachuelense. A honraria foi entregue para: Claudio Oliveira, maestro da Filarmônica Tasso Martins Bezerra; Alcilene Rosa, líder da comunidade quilombola do Quebra Chifre; Edson Correia; Yasmin Cristiane de Santana, diretora de promoção de igualdade racial; Ailton Bispo; Enéas Gabriel Resende Moreira, diretor de arte e cultura; Sônia Oliveira; Maria Cícera, yalorixá do Centro Ogum Marinho; Eraldo Alves dos Santos, babalorixá do Centro Afro Jacutá N´ Sahara e Maria José, yalorixá do Ilê Axé Omin Mafé.

Texto e foto: Ascom CMR

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Linda Brasil aprova em primeira discussão projeto que exige de intérprete de Libras
Dra. Paula Saab recebe Moção de Aplausos da Câmara Municipal de Aracaju
Alessandro Vieira trabalhou de forma intensa para melhorias na PEC dos Precatórios
TRE-SE cassa mandato do deputado federal Valdevan Noventa em votação unânime, mas cabe recurso junto aoTSE