Aracaju, 28 de janeiro de 2022

CRO-SE flagra falso dentista em exercício ilegal na cidade de Nossa Senhora Aparecida

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Fiscalização do Conselho Regional de Odontologia de Sergipe flagrou, nesta quinta-feira (25), um falso cirurgião-dentista realizando atendimento em consultório montado em seu domicílio, em Nossa Senhora Aparecida, em mais um caso de exercício ilegal da profissão. A operação é fruto de investigação feita pelo CRO-SE, que em 2018 flagrou o pai do suspeito também exercendo a Odontologia ilegalmente. À época, o suspeito atendia sem registro junto com o pai, mas fugiu antes que a Fiscalização chegasse ao local.

Após o falecimento do pai, o Conselho recebeu a notícia de que o filho teria continuado a prática ilegal, porém, em outro lugar. E articulou-se com a Vigilância Sanitária Estadual e as Polícias Civil e Militar para a operação conjunta, que culminou com a prisão do suspeito, imediatamente conduzido até a Delegacia de Ribeirópolis para prestar esclarecimentos.

No local do flagrante, foi identificada toda a estrutura e instrumentação necessária ao atendimento odontológico. O suspeito, inclusive, estava realizando procedimento de restauração em um paciente, no exato momento em que as equipes chegaram. Em depoimento, o paciente informou não ter conhecimento de que o pretenso dentista era ilegal, e que foi o último a ser atendido, havendo outros pacientes antes da sua vez. O suspeito informou ter cursado Odontologia até o oitavo período, tendo trancado o curso após o falecimento do pai.

O Conselho Regional de Odontologia de Sergipe reforça que, para estar legalmente apto ao exercício da Odontologia, é obrigatória não só a conclusão da graduação, mas também a inscrição no CRO-SE. “De acordo com a Lei 5.081/66, a Odontologia somente pode ser praticada por cirurgião-dentista habilitado, que possua diploma de graduação e registro no órgão de fiscalização (CRO). E segundo o artigo 282 do Código Penal, a punição prevista para o exercício ilegal da Odontologia é de detenção de seis meses a dois anos, podendo ser cumulada à penalidade de multa”, explica o presidente do CRO-SE, Anderson Lessa Siqueira.

O exercício ilegal da profissão é crime. O Conselho Regional de Odontologia de Sergipe recebe denúncias através do whatsapp (79) 98115-4395, pelo e-mail [email protected] ou pela aba “denúncia” do site www.crose.org.br.

Foto assessoria

Por Rebecca Melo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

TJSE restringe atividades presenciais com rodízio de 50% dos servidores até 06 de março
Dia da Visibilidade Trans marca ações da mandata de Linda Brasil
“É enfim mais um passo pela garantia do direito do povo à saúde”, diz Gracinha Garcez sobre reinauguração no Cirurgia
Ação de vândalos compromete abastecimento de água em Feira Nova e Nossa Senhora da Glória