Aracaju, 22 de janeiro de 2022

Edvaldo encerra reunião da FNP com entrega da Carta de Aracaju

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O prefeito de Aracaju e presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Edvaldo Nogueira, entregou ao presidente da Câmara dos Deputados, deputado federal Arthur Lira, nesta sexta-feira, 26, durante o encerramento da 81ª Reunião Geral da entidade, a Carta de Aracaju. Elaborado a partir das discussões apresentadas durante o evento, sediado na capital sergipana e com a presença de mais de 350 participantes, o documento reúne as principais pautas dos municípios brasileiros, com ênfase para o financiamento do transporte público e para as PEC’s 13/2021 e 122/2015. Além do presidente da Câmara, marcaram presença o ministro da Cidadania, João Roma, o governador do Estado, Belivaldo Chagas, e os deputados federais  Juscelino Filho, Fábio Mitidieri, Fábio Henrique  e Antônio José Albuquerque.

“O documento traduz a nossa Reunião Geral, visto que estes foram os temas centrais deste encontro de dois dias, de prefeitos do país inteiro, e que abarca três pontos. O primeiro, e mais urgente, é o financiamento para o futuro da Saúde. Teremos um aumento das sequelas com relação à covid-19 e precisamos que o governo federal  melhore o  orçamento dos municípios. Outro ponto é o socorro ao transporte público, setor que já vinha passando por dificuldades, mas que se agravou com a pandemia. Precisamos de auxílio, seja na desoneração do combustível, seja com um subsídio. Esperamos  contar com a sensibilidade dos deputados, em especial do presidente da Casa, Arthur Lira, para encontrar a esperança de uma saída para os problemas dos municípios brasileiros”, destacou Edvaldo.

Com relação ao transporte público, o gestor de Aracaju e presidente da FNP ressaltou que o envio do auxílio emergencial, no valor de R$ 5 bilhões, defendido pela Frente Nacional, “seria uma forma de manter a sustentabilidade do setor”. “Isso daria para um refresco. As gratuidades representam 20% do preço da tarifa e os combustíveis mais 20%, e não tem solução para resolver o problema com o aumento da passagem porque isso vai causar um novo problema, já que são os trabalhadores que utilizam o transporte e os salários estão defasados. Portanto, a saída seria a desoneração ou a incorporação das gratuidades pelo governo federal”, frisou Edvaldo.

O gestor e presidente da FNP destacou outros pontos da Carta, como a reivindicação da aprovação das PEC’s 13/2021 e 122/2015. “Na Educação, os municípios não têm como gastar os 25% neste ano, uma vez que passamos boa parte dele com as escolas fechadas. Desta forma, a PEC 13 seria a solução. O que nós queremos é a aplicação correta e adequada do recurso na Educação. Também tem a PEC 122, que não permite a autorização de novas leis com novos gastos para os municípios, sem a devida definição de onde partirão os recursos”, reforçou o presidente da FNP acrescentando que, por estes motivos, “os prefeitos e prefeitas estarão mobilizados em Brasília, no dia 8, para lutar pela aprovação destas pautas tão fundamentais ao povo brasileiro”, enfatizou.

O prefeito de São Paulo/SP,  e vice-presidente da FNP, Ricardo Nunes, também defendeu a urgente necessidade de um subsídio para o transporte público por parte do governo federal. “Precisamos deste auxílio emergencial para o transporte, ao mesmo tempo em que precisamos pensar em novas alternativas para o setor, como a eletrificação dos veículos”, reforçou.

Apoio

O presidente da Câmara dos Deputados, deputado Arthur Lira, disse que os parlamentares estão atentos às demandas que estão surgindo, em virtude da pandemia, e que a Câmara Federal tem buscado tratar “com urgência” dessas pautas. “Vivemos os reflexos da pandemia em 2021 e isso se repetirá em 2022. Está sendo assim no transporte público, mas também será em outras áreas. Mas quero lembrar que a Câmara esteve muito presente à sociedade durante a pandemia, tomando decisões urgentes em favor da população. O Congresso fez a sua parte e aprovou auxílio aos municípios, aos Estados, para a compra da vacina. E é graças à vacina que estamos aqui”, disse.

Sobre o transporte público, Lira garantiu que a “Câmara quer participar deste diálogo e construir, junto com o governo federal, alternativas de socorro”. “Vamos encontrar uma solução factível. É importante que construamos consensos. É um problema mundial, que precisa ser tratado em uma escala de governos federais, estaduais e municipais, com a ajuda do Congresso Nacional, para que possamos encontrar uma solução o mais rápido possível”, salientou.

Com relação às outras temáticas, o presidente da Câmara também expôs que o Congresso Nacional “tem se esforçado, ao máximo, para construir consensos”. “Vamos trabalhar para construir uma unanimidade para votar a PEC 13. Além disso, há uma posição da Câmara Federal, de que não votaremos nenhum projeto que gere despesas aos municípios sem apontar a fonte da despesa”, completou o deputado e presidente da Câmara ao se referir sobre a PEC 122.

O ministro da Cidadania, João Roma, parabenizou a FNP “por lutar pela melhoria da vida de suas populações”. “Nós, do governo federal, também estamos trabalhando para ajudar as pessoas, com o Auxílio Brasil, iniciativa que irá cobrir uma importante parcela da população brasileira em situação de vulnerabilidade”, afirmou. O ministro também se comprometeu a levar as demandas dos prefeitos para o governo federal.

O governador Belivaldo Chagas se disse muito feliz com a presença de prefeitos, vice-prefeitos, secretários e assessores de todo o país em Sergipe. Ele afirmou que as pautas que preocupam os prefeitos, também são prioridades dos governadores. O governador destacou, ainda, a parceria com a Prefeitura de Aracaju no enfrentamento à pandemia.

Carta de Aracaju

A Carta de Aracaju foi elaborada a partir das principais discussões expostas durante os dois dias de Reunião Geral da FNP. No documento, prefeitos e prefeitas externam preocupação com a crise do transporte público, agravada em virtude da pandemia do novo coronavírus. Os gestores também solicitam o estabelecimento de uma rápida articulação federativa, voltada à construção de alternativas emergenciais e estruturantes para o setor, com a finalidade de “evitar o iminente colapso e a desassistência da população”.

“Como medida para ajudar a enfrentar esse cenário, a Frente Nacional de Prefeitos, além de defender a desoneração dos impostos federais e estaduais no preço do diesel, protocolou no Ministério da Economia proposta para financiar a gratuidade dos idosos, durante reunião realizada com o ministro Paulo Guedes, dia 21 de julho”, justificam os gestores no documento.

Na Carta, os governantes municipais também reivindicam uma articulação para que as PEC’s 13/2021, cujo texto propõe o prolongamento do prazo da aplicação do mínimo de 25% na Educação para 2023, em virtude da pandemia do novo coronavírus, e 122/2015, que proíbe a instituição de novos encargos aos municípios, sem a indicação dos recursos para custeá-los, sejam rapidamente aprovadas. Eles destacam que os projetos já tramitam no Congresso Federal e que “impactam no financiamento das cidades e na vida das pessoas”.

Sobre o pagamento dos pisos do magistério e de enfermagem, os prefeitos e prefeitas ressaltam, no documento, que os desafios federativos “devem ser assumidos e compartilhados entre os entes”.

“Caso a União não aporte recursos específicos e suficientes para o pagamento do reajuste do piso do magistério em vigor, os governantes locais defendem a aprovação do PL 3776/2008 para estabelecer o INPC como novo índice de reajuste do piso. Na mesma direção, apoiam a instituição do piso de enfermagem, previsto no PL 2564/2020, desde que sejam indicados os recursos federais necessários para custear o impacto da medida, estimado em R$ 12,6 bilhões”, observam.

Da assessoria

Foto: Ana Lícia Menezes/PMA

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Escola de Artes Valdice Teles abre inscrições para 685 vagas em diversos cursos
Defesa Civil segue monitorando municípios sergipanos margeados pelo Rio São Francisco
Provas do Enem 2022 serão aplicadas no mês de novembro; confira todo cronograma
Prefeitura abre novo edital para eleição do Conselho da Previdência