Aracaju, 22 de janeiro de 2022

“Não podemos aceitar essa conduta imoral”, diz presidente do DC Mulher sobre Danielle Garcia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Nesta quinta-feira, 02, a presidente do diretório do DC de Aracaju e Presidente da AMA – Associação das Mulheres de Aracaju, Giovanna Rocha, participou do Programa Impacto, Rádio Jornal, apresentação de Gilmar Carvalho, e criticou a delegada e presidente do PODEMOS Sergipe, Danielle Garcia, após ela tentar tirar a deputada estadual Gracinha Garcez (PSD-SE) da Alese, para colocar o 2º suplente, que vem a ser Carlos dos Santos Silva (Carlão Vigilante), acusado pela polícia e denunciado pelo Ministério Público pela tentativa de homicídio .

“Eu não posso ser conivente com a atitude de uma outra mulher, que é delegada e presidente de partido. A conduta é totalmente imoral. Ela deveria prezar por mais mulheres na política. Como é que uma delegada, além de tirar uma mulher, quer colocar um criminoso dentro da Alese? Eu acho que ela está pensando que na Alese e na justiça, quem manda é ela. Eu acho que ela quer mostrar serviço, sem ter. A realidade é essa. Ela não tem serviço nenhum, a não ser exercer a profissão dela, porque recebe um salário para isso”, disse durante entrevista a Gilmar Carvalho.

A presidente do DC e AMA questionou: “Como é que nós vamos colocar um representante com uma ficha “maravilhosa” dessa? Como ele vai representar o povo sergipano? Isso mostra a incompetência de “Danielinha”. “Danielinha” no diminutivo, pois demonstra total falta de experiência. E isso não é desculpa. Acredito que é um golpe desnecessário. Eu gostaria de saber o que Daniella Garcia fez pelas mulheres de Sergipe? Eu gostaria de saber o que Daniella Garcia fez pelas mulheres brasileiras? Eu gostaria de saber o que Daniella Garcia fez por Aracaju? Nada!”, argumentou Giovanna.

“Ela tem que repensar. O partido nacionalmente avaliar, pois ela quer colocar um criminoso para representar o povo sergipano, e ainda desmoralizar uma Assembleia Legislativa”, disse em seguida.

Segundo Giovanna: “Como delegada, mulher, mãe e filha, ela deveria ter sensibilidade. Ela não quer fazer nada, ela só quer dar os golpes de “colarinho branco”. Fazer isso é inaceitável. Ela deveria ter uma conduta e um posicionamento de uma mulher de coragem, de lutar pelo povo. Pra mim, ela não representa as mulheres, envergonha o próprio partido e o povo sergipano e brasileiro”, afirmou.

“Ela não conhece a força da mulher brasileira, e acho que nem sabe que somos a maioria da população, aí utiliza de ser mulher para se promover eleitoralmente. Não! Jamais ela fará isso, pois estarei aqui para questionar, pra falar e denunciar. Não podemos aceitar essa conduta imoral de uma mulher que não tem condições de estar à frente de um partido”, concluiu Giovanna Rocha.

Da assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Escola de Artes Valdice Teles abre inscrições para 685 vagas em diversos cursos
Defesa Civil segue monitorando municípios sergipanos margeados pelo Rio São Francisco
Provas do Enem 2022 serão aplicadas no mês de novembro; confira todo cronograma
Prefeitura abre novo edital para eleição do Conselho da Previdência