Aracaju, 22 de janeiro de 2022

STF julga transferência de concessões sem licitação

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Licitação continua válida quando ocorre a transferência, diz relator

da Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar hoje (9) a constitucionalidade da transferência de concessões e permissões para exploração de serviços públicos sem nova licitação. A ação foi protocolada na Corte em 2003 pelo então procurador-geral da República Cláudio Fonteles. 

A questão envolve o artigo 27 da Lei 8.987/1995 e a interpretação de que, conforme a Constituição, seria necessária a realização de nova licitação quando ocorre a mudança de controle societário e transferência da concessão para outra empresa que não venceu a concorrência inicial.

Ao julgar o caso, o relator, ministro Dias Toffoli, entendeu que a licitação é exigida na autorização de outorga inicial e continua válida quando ocorre a transferência.

“Não se constata burla à exigência constitucional de prévia licitação para a concessão de serviços públicos, constante do art. 175 da CF, a qual é devidamente atendida com o certame levado a cabo para sua outorga inicial e cujos efeitos jurídicos são observados e preservados no ato de transferência mediante a anuência administrativa’, afirmou.

Os ministros Gilmar Mendes e Nunes Marques também seguiram o relator. Em seguida, o julgamento foi suspenso e será remarcado pela Corte.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Escola de Artes Valdice Teles abre inscrições para 685 vagas em diversos cursos
Defesa Civil segue monitorando municípios sergipanos margeados pelo Rio São Francisco
Provas do Enem 2022 serão aplicadas no mês de novembro; confira todo cronograma
Prefeitura abre novo edital para eleição do Conselho da Previdência