Aracaju, 16 de janeiro de 2022

Polícia Civil prende taxista envolvido na morte de jovem no município de Areia Branca

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Em continuidade às investigações sobre a morte de Verônica Elisiane Barbosa Mesquita, 23 anos, equipes da Delegacia de Areia Branca prenderam o taxista de prenome Marcelo, na manhã desta terça-feira (14).

Os suspeitos Elissandra de Jesus Oliveira e Everton dos Santos Gois, que já estavam presos, tiveram as prisões temporárias convertidas em preventivas pela Justiça.

Segundo a delegada Jéssica Garcia, o investigado Marcelo foi preso em Nossa Senhora do Socorro, na Região Metropolitana de Aracaju, e encaminhado para a 4ª Delegacia Metropolitana (4ª DM). “Em virtude das investigações realizadas pela delegacia, chegou-se aos indícios de autoria de Elisandra, irmã por parte de pai, Everton, seu marido, e indícios de que o Marcelo, taxista, também estaria envolvido na morte da vítima”, relembrou.

Conforme a delegada, na época do crime, o corpo da vítima foi encontrado parcialmente carbonizado em uma área de mata no povoado Pedrinhas, em Areia Branca. A Polícia Civil apurou que na tarde da terça-feira, 9 de novembro, a vítima se encontrou com a irmã. “Identificamos uma mensagem que a vítima mandou para um terceiro informando sobre o encontro e dizendo que estava com medo”, informou.

Na época das prisões de Elissandra e de Everton, a delegada detalhou que houve um deslocamento que resultou na morte da vítima. “Houve uma conversa breve fora do carro e de lá eles se deslocaram sentido povoado Mangabeira. Há uma desistência e, no percurso, acabam indo para o povoado Cajueiro. Dentro do carro mesmo a vítima começa a ser esfaqueada. Ela morre no carro e o corpo é deixado no local onde foi encontrado”, citou.

No dia 15 de novembro, Elissandra e Everton foram presos em ação conjunta com a Polícia Militar de Alagoas. No momento das prisões, eles estavam almoçando em um quiosque na beira do rio, perto da balsa da cidade de Penedo. A motivação para o crime, conforme a delegada, tem relação com a cobrança de dívidas.

“A motivação foi em decorrência de dinheiro, da questão de cobrança, de ter gastado demais e que teria que pagar, mas não teria a quantia necessária para efetuar o pagamento. Elas trabalhavam com agiotagem juntas. O relato de uma das partes seria de que a jovem estaria ameaçando matar Elissandra, e para não ser morta, ela resolveu matar primeiro”, pontuou.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

FSF realiza testagem em clubes e seis atletas do Maruinense e cinco do Falcon testam positivo para Covid-19
Sergipe vence Falcon na abertura do Sergipão X1bet
Projeto da Elese estimula abertura de escolas do legislativo no interior
Covid-19: Brasil tem 22,9 milhões de casos e 620,9 mil mortes