Aracaju, 22 de janeiro de 2022

Sergipe compartilha experiências do Novo Ensino Médio em evento

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Com o objetivo de compartilhar práticas e experiências nas escolas-piloto do Novo Ensino Médio, no que se refere à formação continuada de professores, a rede estadual de ensino de Sergipe participou nessa quinta-feira, 16, do Webinário Nacional de Monitoramento do Novo Ensino Médio, realizado pelo Ministério da Educação, por meio da Secretaria de Educação Básica (MEC/SEB), que coordena o Programa de Apoio ao Novo Ensino Médio (ProNEM). Representando a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), as professoras Isabella Santos,  coordenadora do Serviço de Ensino Médio, e a professora Fernanda Araújo, técnica pedagógica, apresentaram o percurso de implementação e as ações que consolidaram a oferta da modalidade.

Sergipe é referência nacional na implementação do Novo Ensino Médio, que começará a valer a partir de 2022. Em levantamento feito pelo Serviço Social da Indústria (Sesi), o estado foi apontado como o único que cumpriu as doze etapas necessárias para a estreia. O Novo Ensino Médio no próximo ano letivo será a realidade para as escolas públicas e particulares. Na rede pública estadual, mais de 270 instituições escolares que ofertam o Ensino Convencional, integral, EJA e Educação Profissional ofertam a modalidade de ensino. A instrumentalização de cada competência do Novo Ensino Médio, que, por sua vez, amplia as possibilidades dos estudantes ainda nesta etapa, é um grande espaço para a formação integral dos adolescentes, jovens e adultos sergipanos.

No webinário foi apresentado o panorama da oferta do novo ensino médio na rede estadual, que está presente em 33 escolas-piloto. Em seguida, as técnicas explanaram sobre as estratégias formativas. “Esse percurso foi construído em dois caminhos: a elaboração do Currículo de Sergipe e a implementação do Novo Ensino Médio nas escolas-piloto já com uma arquitetura curricular sendo experimentada desde 2019. Então, nosso público-alvo foram essas escolas e a equipe do Programa de Implementação do Currículo. Paralelamente à escrita do documento curricular, nós fizemos reuniões formativas, consultas públicas, presencialmente, e oficinas. Com a pandemia, a gente remodelou todo o processo, continuando com algumas ações, só que no formato remoto. Entramos numa jornada de formação em projeto de vida, que foi um grande divisor de águas, com webinários, oficinas online, cursos no Ambiente Virtual de Aprendizagem da Seduc, além da realização de jornadas pedagógicas com as diretorias regionais de educação, plantões de tira-dúvidas e lives”, explicou Fernanda Araújo.

A coordenadora do Semed, professora Isabella Santos, falou sobre os eixos formativos, que são a arquitetura, currículo e legislação. “No eixo arquitetura, nós trabalhamos em duas frentes muito importantes, que foram: a primeira, a Matriz Curricular e suas concepções, a qual traz a estrutura e distribuição da carga horária da formação geral básica, dos itinerários formativos comuns e integrados e itinerários aprofundados; a segunda,  o Projeto Pedagógico Orientador do ProNEM, que  apresenta a concepção e o fundamento do ensino médio convencional diurno, estratégias operacionais, verificação do rendimento escolar, recuperação, equivalência e transferência, e todas as demandas que o novo ensino médio vai necessitar de restauração nessas escolas; tudo isso regulamentado pelo nosso Conselho Estadual de Educação”, disse.

“No eixo currículo, nós tivemos a construção coletiva, que virou um curso, e dentro do curso nós tínhamos o módulo de consulta pública, o que nos proporcionou grande participação e representatividade da comunidade e sociedade sergipana no Currículo de Sergipe. Outro ponto foi o Itinerário Formativo comum integrado, composto por projeto de vida, eletiva, estudo orientado, língua espanhola, expressão escrita, expressão matemática, curso de elaboração integradora, e para dar suporte, a gente teve um curso de elaboração dessas atividades. Esse eixo também é contemplado com os itinerários formativos das áreas de conhecimento: temos disponibilizadas 17 unidades curriculares para cada área, organizadas e publicadas em planos de atividades docentes, nas quais o professor poderá coletar essas informações, usar ou até mesmo redefinir e fazer de acordo com a realidade da sua escola, do seu município ou de seu estudante”, exemplificou Isabella Santos.

Ela continuou sua participação no webinário falando da legislação que estruturou todo esse processo, que, a princípio, foi viabilizado com a oferta do curso que traz o Novo Ensino Médio no contexto Sergipano, mostrando histórico e marco legal da BNCC no novo ensino médio, o que muda nessa modalidade e demais temáticas. Outro tópico da legislação tratado pela equipe da Seduc Sergipe foi alinhar os projetos políticos pedagógicos à luz da Base Nacional Comum Curricular, apresentando o que são as PPPs, a estrutura, a revisão do referencial teórico e revisão das propostas. Ela encerrou falando das resoluções do Conselho Estadual de Educação e portarias da Educação Estadual, que foram cruciais para nortear todo esse trabalho.

O webinário continua disponível e pode ser acompanhado por meio do endereço: https://bit.ly/32eN5Uw

Assessoria de Comunicação da SEDUC

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Escola de Artes Valdice Teles abre inscrições para 685 vagas em diversos cursos
Defesa Civil segue monitorando municípios sergipanos margeados pelo Rio São Francisco
Provas do Enem 2022 serão aplicadas no mês de novembro; confira todo cronograma
Prefeitura abre novo edital para eleição do Conselho da Previdência