Aracaju, 24 de janeiro de 2022

Desafios da pandemia influenciarão a educação superior

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Projetos voltados para o protagonismo do aluno, uso de tecnologias e práticas diferenciadas serão a tendência para o próximo ano.

A pandemia de covid-19 mudou a rotina de muitos estudantes no Brasil e no mundo. O momento era de incerteza para quem estava ingressando em um curso superior e também para alunos com a graduação em andamento. Durante esse período, a Universidade Tiradentes (Unit) criou estratégias para estabelecer uma educação resolutiva, criativa, colaborativa e interativa, preparando o aluno para um mundo em constante transformação.

O uso de ferramentas tecnológicas foi imprescindível para que o aluno se tornasse o centro do aprendizado e, por isso, a universidade adotou o modelo híbrido, em cursos presenciais e de Educação a Distância, combinando experiências pedagógicas integradoras e complementares para tornar o dia a dia da sala de aula mais dinâmico.

Para não comprometer o aprendizado dos estudantes durante os dois anos de pandemia, a Unit construiu um modelo de ensino totalmente focado na tecnologia e em metodologias ativas, que continuarão a fazer parte da vida dos veteranos e serão um novo modo de integrar os calouros. “Todo o investimento feito na formação continuada docente, em especial na utilização de recursos de tecnologia e aplicação de metodologias ativas, buscam alcançar os indicadores de qualidade defendidos pela instituição, tendo a inovação como elemento agregador. Parte disso está refletida nos currículos dos cursos de graduação nas modalidades presencial e a distância, e nos diferentes espaços de aprendizagem, que são pensados como ambientes de produção cooperativa do conhecimento e de experimentação, para que o estudante esteja no centro do processo de aprendizagem”, explicou a gerente de avaliação da Unit, Michelline Roberta Simões do Nascimento.

Esse modelo de ensino ficou conhecido como Experiência Acadêmica Tiradentes. Por meio dela, a Unit alinhou os componentes formativos teóricos a práticas diferenciadas, integralizando a matriz curricular dos cursos e somando a um modelo pedagógico diferenciado, no qual a universidade busca não só a formação acadêmica, mas a preparação de cidadãos e profissionais capazes de solucionar problemas reais da sociedade.

Durante esse período também foi institucionalizado o programa de Gestão da Aprendizagem. “Esse programa é composto por métodos e rotinas de avaliação diagnóstica em que cada estudante pode identificar seu perfil de aprendizagem, eventuais dificuldades e, assim, buscar soluções que contribuam para a superação de possíveis lacunas formativas. Para isso, a Unit disponibiliza diferentes recursos, desde a oferta de atividades complementares e de nivelamento até o apoio a questões socioemocionais”, evidenciou.

A vida pós-pandemia na universidade ainda terá forte influência do período em que a covid-19 esteve no auge. O distanciamento social e a manutenção das medidas de biossegurança ainda serão uma realidade, não se sabe por quanto tempo. “Haverá necessidade de retomar a rotina de atividades presenciais de forma integral tomando todos os cuidados preventivos, afinal, a pandemia não acabou, apesar de estarmos com números controlados, o que nos permite voltar à rotina acadêmica. Será um momento de ressignificação em vários aspectos. Estaremos convivendo com lembranças muito recentes do período de distanciamento social. Cada indivíduo reagiu de maneira muito particular a esse período, havendo a necessidade de criar novos hábitos e respeitar as individualidades de cada um”, disse.

Juntamente com todos esses diferenciais, Michelline adiantou outros projetos que o aluno terá acesso no decorrer do primeiro semestre de 2022. “Projetos estratégicos voltados para ampliação de campos de estágio curricular e extracurricular; parcerias com instituições estrangeiras que viabilizam intercâmbios, possibilitando aos alunos experiências formativas que ultrapassam as fronteiras da universidade e atingem aspectos que conectam o local e o global; programas de iniciação científica que permitem engajar o estudante na pesquisa e processos seletivos de monitorias.”

Assessoria de Imprensa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Cursos oferecidos são de diversas áreas do conhecimento 
Covid-19 deixa o Sergipe sem time para jogar na quarta-feira após registrar 16 casos  no elenco
Senar Sergipe abre inscrições para cursos profissionalizantes
Senadora destaca a importância da ajuda de custo para UTI