Aracaju, 28 de janeiro de 2022

Como se proteger da nova variante da Covid-19, Ômicron

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

O infectologista e professor da Universidade Tiradentes, Matheus Todt, conta como as medidas de prevenção podem evitar a contaminação pela nova variante

A nova variante da Covid-19 conhecida como ômicron pode mudar novamente o rumo da pandemia, em especial por causa do seu grau elevado de contaminação. Sua particularidade é o grande número de mutações na comparação com a variante original, detectada na cidade chinesa de Wuhan, e de posteriores versões, como a delta, que domina até agora amplamente a transmissão da pandemia.

Segundo o infectologista e professor da Universidade Tiradentes, Matheus Todt, com a diminuição das restrições sanitárias e as festas de fim de ano, o número de aglomerações pode sofrer um aumento, causando uma maior circulação do vírus. “Nos últimos meses com essa progressiva liberação das restrições, infelizmente temos a  possibilidade de vivenciar o que estamos acompanhando na Europa e em alguns países da Ásia que é ter novamente hospitais lotados e um número crescente de mortes”, explica.

Apesar da vacina já estar disponível para grande parte da população, a baixa adesão vacinal em alguns países já causa preocupação em governantes e organizações de saúde. “Nos últimos meses o aumento do número de vacinados principalmente aqueles com duas doses não tem aumentado como deveria. Estamos entrando em, aproximadamente, na faixa entre 55% a 60% das pessoas vacinadas com as duas doses. O ideal para que possamos falar em controle total da pandemia é maior que 75%, então ainda estamos distantes desse número. Acontece que muitas pessoas vão se vacinar com a primeira dose mas não completam o esquema vacinal com a segunda”, reitera Matheus.

Para o infectologista, é necessário reforçar e conscientizar cada vez mais a importância da vacina.”Além disso, precisamos ter cuidado e cautela com as medidas de flexibilização. Então o uso da máscara continua sendo essencial, assim como a higiene das mãos e, principalmente, ainda não é o momento de aglomerar. Avançar rapidamente agora pode significar vários passos para trás quando olharmos lá na frente”.

Assessoria de Imprensa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Comitê volta a se reunir segunda-feira e adotará medidas rígidas para evitar aumento da Covid
Katarina pode ser a surpresa da eleição disputando uma vaga para Federal
Famílias da zona rural recebem subsídio pra comprar imóveis, Em Sergipe, foram 8 contratos que somaram R$ 627 mil
Secretaria de Estado da Saúde recebe 48.550 doses de vacinas contra a Covid-19 nesta quinta