Aracaju, 21 de janeiro de 2022

Como lidar com a depressão no fim de ano? Psicólogo explica

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Diante da alegria das festas de fim de ano que propõe confraternização e celebração, um assunto pouco falado, mas muito comum é a depressão entre o natal e o ano novo. A depressão clínica pode acontecer em qualquer momento do ano, mas o estresse, a ansiedade e o estado depressivo podem se intensificar nos meses de dezembro e janeiro. Em entrevista, Cícero Melo, psicólogo da Equilíbrio Clínica Dia em Aracaju, explica porque isso acontece.

“Na verdade, a depressão tem sido muito comum em todo o tempo, devido ao estilo de vida moderno, a pandemia e vários acontecimentos, porém as datas comemorativas como final de ano, requerem socialização, motivação e trazem memórias que podem ser ruins. As pessoas que tem essas dificuldades somadas com a predisposição da doença, acabam potencializando ou super dimensionando os problemas ao ponto de chegarem ao suicídio, essas datas são realmente críticas como comprovam as estatísticas”, alerta.

Para o depressivo as datas são mais complicadas porque ele não tem ânimo para nada. “As pessoas com esse problema tendem a se isolar e isso acaba favorecendo a doença, eles precisam de ajuda, incentivo e se possível que o parente ou amigo ‘obrigue’ o convívio para que o isolamento seja evitado. Os depressivos com um pouco mais de motivação devem se esforçar mesmo sem querer, para melhorar a socialização e trabalhar os pensamentos negativos. Sem contar que o tratamento deve ser continuado com o psiquiatra e o psicólogo para que sejam efetuados os cuidados mais eficazes”, finaliza.

Por: Rodrigo Alves. Foto: divulgação.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Flash Político: Mitidieri disputa Governo e admite que perto da decisão haja inquietação
Confira programação e horário de testagem nas UBSs e bairros de Aracaju
E-commerce do Supertem se consolida como líder no mercado sergipano
Gestores sergipanos têm até 30 de janeiro para enviar informações ao TCE