Aracaju, 28 de janeiro de 2022

Servidor terá um Natal sem festa

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Por Adiberto de Souza *

O servidor estadual terminará mais um ano sem nada para comemorar. Sem ter tido direito a um único centavo de reajuste salarial agora em 2021, a categoria passará um Natal magérrimo, além de não ter disposição para festejar a chegada do Ano Novo. Para comprar alguns presentinhos baratos e garantir uma magra ceia natalina o coitado do servidor está tendo que se virar nos trinta porque, além dos baixos salários, também é vítima da carestia resultante da trágica política econômica do governo Bolsonaro. Diferente da situação vivida pelos miseráveis servidores, os bem pagos comissionados encastelados no governo de Sergipe terão mesas fartas bem servidas neste Natal. Estes apadrinhados dos políticos e seus respectivos protetores se fartarão sem remorsos, pois acreditam que os coitados dos servidores vivem de brisa. Só Jesus na causa!

Grana na mão

O governo de Sergipe inicia hoje, o pagamento da folha salarial deste mês. Nesta quinta-feira, botam a ninharia nos bolsos os servidores das Secretarias de Educação e da Saúde, além do pessoal das empresas, autarquias e fundações. Já quem trabalha nas demais secretarias, inativos e pensionistas recebem os salários amanhã. Somado ao que já foi pago com a antecipação da 2ª parcela do 13º e da folha de novembro, o governo injeta R$ 750 milhões na economia sergipana em menos de 30 dias. Então, tá!

Voto sujo

É certo que parcela do eleitorado vota em candidato desonesto para ser representado por um igual. O sujeito que não se sensibiliza com a massiva propaganda contra os ficha suja e vota em quem responde uma série de processos não deseja o melhor para o seu estado. Pior é que, na maioria dos casos, o eleitor que apoia acusados de praticar crimes tem consciência de seus atos. Portanto, quem vota em malandros está interessado somente em vantagens pessoais, mesmo que elas sejam ilegais e exibam as impressões digitais do seu representante ficha suja. Lamentável.

De papel passado

As 580 famílias residentes no Conjunto Senador José Eduardo Dutra, na zona norte de Aracaju, agora são donas dos imóveis de papel passado e tudo. As escrituras públicas das casas foram entregues, ontem, pelo governador Belivaldo Chagas (PSD). Políticos governistas prestigiaram o evento que concluiu processo de legitimação fundiária dos imóveis. Estavam no palanque montado pelo governo, o presidente da Assembleia, deputado Luciano Bispo (MDB), o ex-governador e pré-candidato ao Senado, Jackson Barreto (MDB), a vice-prefeita de Aracaju, Katarina Feitoza (PSD) e outros menos votados. Aff Maria!

Abaixo o negacionismo

Bolsonarista de carteirinha, o deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) ameaça “tomar as medidas cabíveis” visando suspender o decreto do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) exigindo o passaporte da vacina aos servidores do município de Aracaju. Esse parlamentar contrário à correta exigência do comprovante vacinal vem a ser o mesmo que levou para falar na Assembleia uns negacionistas adversários da imunização contra a covid-19. Tomara que os familiares das vítimas fatais do coronavírus se lembrem de Rodrigo Valadares quando forem às urnas no próximo ano. Danôsse!

Praias elogiadas

E o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) está sorrindo de orelha a orelha com o elogio feito às praias aracajuanas pela Folha de São Paulo. Segundo o jornal, “entre as capitais, Aracaju é a que mais tem praias boas em todo o litoral do país”. A guia de turismo Natália Nascimento afirma que os visitantes elogiam as praias a capital sergipana. “O que a Folha escreveu eu percebo na prática, com as pessoas que chegam em nossa cidade”, diz a distinta. A reportagem revela que, em comparação com 2019, houve melhoria na qualidade para banho, tendo as taxas de praias consideradas boas subido de 33% para 38%. Supimpa!

Celular e direção

Mais de 19% dos motoristas das capitais usam o celular enquanto dirigem. Isso significa que de cada cinco pessoas, uma afronta a lei. Feita pelo Ministério da Saúde, a pesquisa também mostrou que as pessoas com idades entre 25 e 34 anos (25%) e com maior escolaridade (26,1%) são as que mais assumem esse comportamento de risco. Os motoristas com nível superior também são os que mais recebem multas por excesso de velocidade e que associam o consumo de bebida alcoólica e direção. Crendeuspai!

Lançamento concorrido

Foi por demais concorrido o lançamento do livro “Sinfonia da Desesperança”, do jornalista e publicitário Carlos Cauê. A noite de autógrafos aconteceu, ontem, no Centro Cultural de Aracaju. Em sua terceira obra literária, o comunicador reflete sobre sentimentos, percepções e vivências das pessoas durante a pandemia do novo coronavírus. Cauê revela que para a sua trajetória pessoal, o livro possui um aspecto de catarse: “A gente não pode passar incólume assistindo as mortes de 600 mil pessoas, milhares no mundo todo”, afirma. Marminino!

Livres, leves e soltos

Uma das queixas do povo contra a Justiça é lerdeza como ela percorre o caminho entre o início de um processo até o trânsito em julgado. Quase que diariamente um político é condenado por prática de falcatrua, porém continua em atividade. E é muito por conta dessa lentidão judicial que muitos sentenciados já se preparam para as eleições de 2022. Diante da secular morosidade da Justiça, só resta ao povo punir nas urnas os mequetrefes de colarinho branco que, embora jurem inocência, colecionam processos de todos os tipos e para todos os gostos. Home vôte!

Viva a Maniçoba

A Assembleia aprovou o projeto da deputada estadual Goretti Reis (PSD) declarando a Maniçoba como Patrimônio Cultural e Imaterial de Sergipe. O objetivo da propositura é reconhecer a importância cultural da Maniçoba, um prato típico do município de Lagarto. O alimento tradicional tem como base a folha da mandioca, que é fervida durante sete dias e, depois, misturada à calabresa, charque e temperos diversos. Na Maniçoba se encontram sabores, texturas e cheiros que remetem às memórias coletivas e individuais da sociedade sergipana. Legal D+!

Bico seco

A crise econômica é tamanha que, mesmo conhecendo a necessidade etílica dos condenados, a grande maioria dos sergipanos deixou de oferecer cachaça ao peru caipira antes de abatê-lo para a ceia natalina. Uma crueldade!

Recorte de jornal

 

 

 

 

 

Publicado no jornal Correio de Aracaju, em 17 de janeiro de 1909.

É editor do Portal Destaquenotícias

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Comitê volta a se reunir segunda-feira e adotará medidas rígidas para evitar aumento da Covid
Katarina pode ser a surpresa da eleição disputando uma vaga para Federal
Famílias da zona rural recebem subsídio pra comprar imóveis, Em Sergipe, foram 8 contratos que somaram R$ 627 mil
Secretaria de Estado da Saúde recebe 48.550 doses de vacinas contra a Covid-19 nesta quinta