Aracaju, 28 de janeiro de 2022

Polícia Civil apura mais dois crimes de estupro de menores cometidos por “Macaxeira” em Socorro

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A 5ª Delegacia Metropolitana (5ª DM) investiga mais dois crimes de estupro de vulnerável de autoria de André Francisco de Oliveira, conhecido como “Macaxeira”, de acordo com informações divulgadas pela Polícia Civil nesta quinta-feira (23). O suspeito foi transferido na manhã de hoje, de Salvador (BA) para Aracaju, e conduzido por policiais da 5ª DM, após decisão judicial proferida pela 2ª Vara Criminal de Socorro, e ratificada pela juíza corregedora do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA).

A delegada Luciana Pereira, à frente do caso, informa que o homem, conhecido por ser autor do estupro contra uma menina em uma área de matagal em Nossa Senhora do Socorro, em outubro de 2020, também teria cometido no mesmo ano, em março e abril especificamente, mais dois crimes do tipo contra duas menores de 15 anos. A vítima do crime de abril, que tinha 13 anos à época, conseguiu, durante o ocorrido, avistar duas pessoas nas proximidades e gritar, fugindo do local.

André Francisco de Oliveira mantinha uma rotina diária de sair da casa, onde vivia com a companheira e os filhos, pela manhã e só retornar à noite, momento em que os crimes em que ele é suspeito seriam praticados. “O modus operandi era muito parecido nos três crimes e na mesma localidade. Então a gente não sabe se há outras vítimas que não nos procuraram e se ele ficava à espreita de suas vítimas”, declarou a delegada da 5ª DM.

De acordo com as investigações do primeiro crime apurado, a vítima estava voltando da banca onde estudava e, ao fazer o caminho mais curto para sua residência, foi abordada pelo investigado.

“Ele iniciou fazendo perguntas, como se quisesse informações e depois começou a praticar o crime. Ele estava com uma faca do tipo peixeira, ameaçou a vítima de morte e tentou tirar as vestes da criança, momento em que ia passando um senhor de bicicleta e notou uma movimentação estranha. O suspeito alegou que a vítima era sua namorada e correu”, detalhou a delegada.

Na época do crime, em 08 de outubro de 2020, embora o laudo do Instituto Médico Legal (IML) não tenha atestado conjunção carnal, a legislação tipifica o caso como estupro de vulnerável. Nos últimos meses, vários familiares da vítima foram ouvidos e a Polícia Civil solicitou ao Poder Judiciário uma série de medidas cautelares. Diligências feitas pela 5ª DM, com o auxílio da Divisão de Inteligência da PC, possibilitaram a descoberta de que ele estava em Salvador, na Bahia.

O investigado foi preso no estado baiano, no último dia 9, enquanto jogava dominó com colegas na praia de Itapuã. A prisão dele foi feita por equipes do Comando de Operações Especiais (COE) da PC da Bahia, depois do compartilhamento de informações entre a instituição baiana e a Polícia Civil de Sergipe.

Ao chegar em Aracaju, André Francisco de Oliveira será encaminhado para uma unidade policial da capital sergipana, onde prestará depoimento à delegada Luciana Pereira. Ela destaca a importância de denúncias sobre outras possíveis vítimas do suspeito, para as diligências policiais e conclusão dos inquéritos, mesmo que a conjunção carnal não tenha sido consumada.

Fonte e foto SSP

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

TJSE restringe atividades presenciais com rodízio de 50% dos servidores até 06 de março
Dia da Visibilidade Trans marca ações da mandata de Linda Brasil
“É enfim mais um passo pela garantia do direito do povo à saúde”, diz Gracinha Garcez sobre reinauguração no Cirurgia
Ação de vândalos compromete abastecimento de água em Feira Nova e Nossa Senhora da Glória