Aracaju, 28 de janeiro de 2022

CMA aprova emenda de Linda Brasil à LOA e abre possibilidade para implantação do ambulatório trans

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Após dias de votação da LOA (Lei Orçamentária Anual), algumas conquistas foram garantidas, através da aprovação de emendas voltadas para o benefício da população, garantindo também recursos para as políticas de direitos humanos. A vereadora Linda Brasil (PSOL) comemorou a aprovação da sua emenda que destina recursos para a atenção à saúde e cobertura da atenção básica. A iniciativa abre a possibilidade para a implementação do ambulatório trans e atendimento especializado aos grupos vulneráveis em Aracaju.

“Essa emenda para mim que sou uma mulher trans, que já passou por tanta falta de acolhimento e de cuidado, sei que nossa população muitas vezes não tem direito à atenção básica de saúde, já existe a nível nacional uma portaria, que regulamenta o processo transsexualizador em todas as cidades, Aracaju é uma das últimas capitais que não existe esse ambulatório, muitas pessoas acham que queremos privilégio, mas o que queremos é que existam profissionais capacitados para saber lidar com essa população que não tem acesso muitas vezes ao acolhimento da família. 90% da população trans está compulsoriamente na prostituição, nós temos a expectativa de vida de 35 anos, a metade da expectativa de vida da população brasileira, e essa expectativa de vida tem relação com essa falta de atendimento, de cuidado, porque até mesmo ir em uma UBS estamos suscetíveis a sofrer violência, muitas de nós fazemos a automedicação, porque às vezes não tem um profissional que nos trate bem, até mesmo que respeitem o nosso nome social, que é um direito garantido e reconhecido pelo Estado brasileiro. Então essa verba é pensada pra gente destinar esse recurso que é um valor pequeno, mas que pode ser o início da construção de um ambulatório trans em Aracaju”, explicou.

Linda ainda informou no plenário que em Sergipe existe apenas o ambulatório trans em Lagarto, no polo de saúde da Universidade Federal de Sergipe, e que agora é fundamental ter um ambulatório na capital. Ela ainda apontou que a Secretária de Saúde já mostra interesse em implementar essa política pública, no entanto, a falta de recursos ainda é um obstáculo.

Educação

A parlamentar também comemorou a aprovação de emendas de outros parlamentares, como a da vereadora Ângela Melo (PT) que garante às professoras e aos professores, o respeito ao piso salarial. É uma grande vitória para a educação e para que o piso seja respeitado em suas carreiras.

Os professores e professoras do município já vêm lutando há anos para que seja cumprido o piso, Linda cumprimentou a categoria em nome do presidente do Sindipema, Obanshe Severo D’acelino e Porto.

“Eu quero saudar a todos/as os profissionais de educação que estão aqui hoje em frente à Câmara Municipal de Aracaju reivindicando uma luta histórica e necessária para a educação. Paulo Freire já dizia: a educação não muda o mundo, ela muda as pessoas, e as pessoas transformam o mundo. Para a gente transformar a nossa cidade, é preciso a valorização do magistério, é importante o pagamento do piso salarial, porque sem condições de trabalho, eles não têm como exercer essa profissão que é tão importante pra nós, para a nossa sociedade e nosso país. Para fazer com que as nossas crianças, os jovens cresçam sabendo do seu papel na sociedade, a perda de direito ou a negação desses direitos. Eu tô muito feliz, senhor presidente, e gostaria de pedir pra irmos lá fora onde eles estão e parabenizá-los pela luta”, proferiu.

A parlamentar também mediou a recepção da categoria no parlamento e, ao final, a emenda foi aprovada por unanimidade. Linda ressaltou que os recursos do Fundeb devem ser usados para pagar o piso do magistério. “A vida do professor não é fácil, mas terá luta e resistência, pois essa é a importância da auto-organização das categorias. Os professores daqui do município de Aracaju estão de parabéns, essa vitória é de vocês que estão há anos nessa luta. Agora Edvaldo Nogueira terá que pagar o piso, porque recurso tem para isso”, reforçou.

Fonte e foto assessoria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

TJSE restringe atividades presenciais com rodízio de 50% dos servidores até 06 de março
Dia da Visibilidade Trans marca ações da mandata de Linda Brasil
“É enfim mais um passo pela garantia do direito do povo à saúde”, diz Gracinha Garcez sobre reinauguração no Cirurgia
Ação de vândalos compromete abastecimento de água em Feira Nova e Nossa Senhora da Glória