Aracaju, 25 de janeiro de 2022

Luta pela aprovação Piso Salarial de Assistentes Sociais tem nova de negociação na Alese

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Representantes do Movimento em Defesa do Piso Salarial do/a Assistente Social participaram de uma reunião com o secretário de Estado da Administração, Dernival Neto, na manhã desta segunda-feira, 27. Na pauta da audiência, o Projeto de Lei n° 288/2021, que estabelece o piso salarial da categoria no Estado de Sergipe, apresentado na Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe (Alese) pelo deputado estadual Iran Barbosa (PT).

“Essa reunião é um desdobramento da audiência que tivemos com o presidente da Alese, deputado Luciano Bispo, no dia 6 de dezembro, oportunidade na qual, ao lado das assistentes sociais, defendemos a importância da aprovação do Projeto de Lei n° 288/2021, que apresentei na Casa, bem como solicitamos o seu apoio para a aprovação do Projeto, requerendo, também, que fosse feito o diálogo com o Poder Executivo”, relembrou Iran.

“Portanto, essa reunião de hoje é fruto de uma negociação iniciada naquele momento, dentro do Poder Legislativo, e que, neste momento, avança junto ao Poder Executivo, após as tratativas do presidente da Alese, deputado Luciano Bispo, feitas diretamente com o governador”, acrescentou.

Participaram da reunião as representantes do Movimento, Lícia Aguiar e Daniella Guimarães; o diretor do Sindicato dos Assistentes Sociais de Sergipe (SINDASSE), Anselmo Oliveira; e a presidenta da Federação dos Servidores Públicos Municipais de Sergipe (FETAM), Itanamara Guedes.

De acordo com os integrantes do Movimento, o piso é uma reivindicação histórica da categoria, que, em Sergipe, conta com mais de quatro mil assistentes sociais, que sofrem com os baixos salários, fruto do achatamento salarial praticado pelo governo estadual e pela maioria das prefeituras.

“O impacto financeiro para implantação do piso salarial será mínimo porque no âmbito do governo do Estado e na Administração Direta estão previstos apenas 19 cargos de assistentes sociais. Os demais profissionais estão lotados na Administração Indireta. Sendo assim, a despesa com pessoal da Administração Indireta não contabiliza no limite prudencial da Lei de Reponsabilidade Fiscal. Além do mais, nas prefeituras, o número de assistentes sociais também é reduzido”, explicou Itanamara Guedes, reforçando que o objetivo para estabelecer o piso salarial é servir de referência para todos os órgãos empregadores no território sergipano.

Como encaminhamento da reunião, ficou estabelecido que o secretário Dernival Neto irá fazer o estudo do impacto financeiro da implantação do piso e voltará a se reunir com os representantes do movimento no dia 11 de janeiro de 2022.

Por Valesca Montalvão – com informações: Movimento em Defesa do Piso Salarial do/a Assistente Social

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Rodrigo aconselha: ‘Você tem que dosar o que você fala’. Brother conversa com Natália
Bárbara, Brunna Gonçalves, Laís e Rodrigo especulam sobre Jogo da Discórdia
Douglas Silva convida Luciano, Naiara Azevedo e Natália para o Cinema do Líder
Homem suspeito de vazar vídeo íntimo de Natália, do BBB22, nega crime