Aracaju, 28 de janeiro de 2022

Petrobras apresenta o projeto Sergipe Águas Profundas como nova fronteira de exploração

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Petrobras apresenta projeto Sergipe Águas Profundas como nova fronteira de exploração
Posicionamento institucional foi divulgado no site da companhia, confirmando investimentos do plano estratégico 2022-2026

Após a recente declaração de comercialidade de sete campos de exploração de petróleo e gás na bacia Sergipe-Alagoas, a Petrobras apresentou, em sua página corporativa, um posicionamento institucional sobre o projeto Sergipe Águas Profundas (SEAP), anunciando o empreendimento como a “nova fronteira de produção em águas profundas do país”. Com a publicação, a companhia confirma os investimentos anunciados em seu plano estratégico quadrienal, estabelecendo o início da produção para 2026.

“Com reservas substanciais e um horizonte de produção promissor, o projeto é consistente com nossa estratégia de focar em ativos em águas profundas com elevado potencial de geração de valor, resiliente a cenários de baixos preços de petróleo e com baixa emissão de carbono por barril produzido”, destaca um trecho do posicionamento. Ainda segundo a publicação, “os investimentos da Petrobras nessa nova fronteira abrirão uma série de oportunidades para a indústria e, como consequência, ampliarão a geração de empregos, impostos e tributos na região”.

O polo de exploração integra as concessões BM-SEAL-4 (operada pela Petrobras em parceria com a ONGC Campos Ltda) e BM-SEAL-11 (operada em parceria com a IBV Brasil Petróleo Ltda), além de BM-SEAL-4A e BM-SEAL-10, com 100% de participação da Petrobras. Concentrada em uma região a 100 km da costa, em profundidades de até 3 mil metros, a região contempla os campos Budião, Budião Noroeste, Budião Sudeste, Palombeta, Cavala, Agulhinha e Agulhinha Oeste.

Comercialidade

Apresentada no último dia 30, a declaração de comercialidade representa a confirmação pela Petrobras da viabilidade econômica do projeto SEAP junto à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O processo de contratação da unidade de produção para a área no primeiro módulo (SEAP I) já foi iniciado. A P-81, plataforma do tipo FPSO designada para ao SEAP I, terá capacidade de produzir 120 mil barris de óleo e 8 milhões de m³ de gás por dia.

A segunda plataforma, direcionada às operações do segundo módulo (SEAP II), está em fase de planejamento de contratação. O projeto SEAP inclui também a implantação de um sistema de escoamento de gás com capacidade de transporte de 18 milhões de m³/dia.

“Nossa expectativa é grande para o novo momento que Sergipe vivenciará. Buscamos parcerias com entidades do sistema S para qualificar mão de obra e também as pequenas e médias empresas para participarem das atividades de suporte e apoio às operações. Outro foco do Governo do Estado, conforme determinação do governador Belivaldo Chagas, é a atração de empresas consumidoras intensivas de gás para se instalarem em Sergipe, de forma a fortalecer o parque industrial do estado, com geração de milhares de empregos e renda, multiplicando os benefícios para toda a população”, afirma o superintendente-executivo da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Marcelo Menezes.

Confira a publicação na íntegra.

Com informações e foto da ASN
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Leia também

Comitê volta a se reunir segunda-feira e adotará medidas rígidas para evitar aumento da Covid
Katarina pode ser a surpresa da eleição disputando uma vaga para Federal
Famílias da zona rural recebem subsídio pra comprar imóveis, Em Sergipe, foram 8 contratos que somaram R$ 627 mil
Secretaria de Estado da Saúde recebe 48.550 doses de vacinas contra a Covid-19 nesta quinta