Aracaju, 15 de agosto de 2022

“Paulo Freire nos ensina perceber opressões e combatê-las”, diz Linda

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A vereadora Linda Brasil (PSOL), esteve presente na audiência pública em homenagem ao Patrono da Educação Brasileira e Sergipana, Paulo Freire, na Câmara Municipal de Aracaju na manhã desta sexta-feira, 17, com o tema “Ano Educacional Paulo Freire”, a atividade foi solicitada pela vereadora Ângela Melo (PT).

Ângela abriu o evento também homenageando a ex-deputada estadual Ana Lúcia (PT), e convidou Linda para secretariar a audiência. É de autoria de Ana Lúcia a Lei que estabelece Paulo Freire como Patrono da Educação Sergipana.

Se vivo, Paulo Freire completaria 100 anos, defensor de uma educação transformadora e horizontal, o educador dedicou seus 75 anos a lutar pela educação brasileira e por uma sociedade mais justa, colocando sua produção intelectual à disposição das transformações sociais.

A primeira palestrante, a professora do IFS e coordenadora do Grupo de Pesquisa Educação Profissional e Tecnologia, Elza Ferreira, iniciou sua fala citando Paulo Freire e Guimarães Rosa. Relatou que durante o seu período como estudante universitária não teve a oportunidade de conhecer Paulo Freire. A pedagoga refletiu as práticas emancipatórias presentes nas obras e na ação de Paulo Freire, em sintonia com a luta da classe trabalhadora.

Ainda contribuíram para o debate o Professor Doutor Evanilson Tavares, e o Professor Doutor Wanderley Geraldi também contribuíram para o debate. O educador Evanilson iniciou recitando a escritora Conceição Evaristo e saudando as populações vítimas da violência racista, lgbtfóbica e oprimida. O pesquisador também refletiu os escritos de Freire, como os conceitos de invasão cultural e a negação da absolutização do conhecimento.

As debatedoras e debatedores trouxeram nas falas o grande legado deixado por este educador, com reflexões que são atuais e fortalece a construção do saber. O professor Wanderley Geraldi discorre a trajetória de Paulo Freire, analisando a expertiência política e intelectual do autor.

Para o professor, a obra “Pedagogia do Oprimido” publicada em 1967, é a de maior importância na carreira do educador. Wanderley compartilhou da experiência de ser colega de trabalho de Paulo Freire e dos cursos ministrados conjuntamente, e sobre o humanismo libertário defendido pelo pensador.

“Esse humanismo libertário transformador parte da ideia de que sempre estamos em transformação. Quando perguntam para ele, você quer transformar o quê em que? Ele sempre responde que não se trata de transformar uma coisa em outra coisa, se trata de ter um olhar no real e ser transformador sempre, se nós transformamos a realidade, a transformação tem que continuar e ser continua”, explicou.

Em tempos difíceis, com o avanço do fascismo através do Governo Bolsonaro, e de ameaça à democracia do país, Linda ressaltou a importância da homenagem ao mestre da educação brasileira, e dos seus ensinamentos como fonte de resistência. Ao falar de Paulo Freire, a parlamentar se emocionou, pois, foi através da educação e dos ensinamentos dele, que despertou a consciência de seu papel transformador na sociedade.

“Hoje pela manhã, tive a honra de secretariar, a convite da Profª Ângela Melo, a Audiência Pública “A importância de Paulo Freire hoje”, em celebração ao centenário do nosso Mestre e Educador, o que para mim foi uma verdadeira aula sobre a arte de esperançar! Somente esperançando é que iremos, com verdade, combater a mentira e tudo aquilo que é contrário ao amor, à evolução e à transformação! É isso que Paulo Freire nos ensina, a perceber as opressões e combatê-las. Apesar de muitos tentarem distorcer as suas obras, continuaremos esperançando e ecoando os seus ensinamentos para que mais educandos e educandas se libertem de todas as formas de opressão”, refletiu.

Por Laila Oliveira

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Leia também