Aracaju, 13 de abril de 2024

Governo Mitidieri briga com os números do desemprego

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
19

Por Adiberto de Souza *

Ainda sem conseguir tornar realidade a promessa de gerar milhares de empregos com carteira assinada, o governo Mitidieri briga com os números do desemprego reinante no estado. A divulgação feita pelo Novo Caged do Ministério do Trabalho mostrando que Sergipe foi o estado do Nordeste que menos gerou empregos em fevereiro último, não agradou ao Executivo. Logo, a comunicação oficial se apressou em propagar que “Sergipe foi proporcionalmente o que mais gerou empregos formais entre os estados do Nordeste”. Ou seja, a palavra “proporcionalmente” foi a saída encontrada pelo governo para contestar os números reais do Novo Caged. Antes de brigar com a realidade nua a crua, o governo deveria reavaliar a sua política voltada para oxigenar o mercado de trabalho. Enquanto permanecer apostando basicamente em festas, o Executivo continuará gerando subempregos que, em sua maioria, desaparecem com o fim dos caríssimos eventos, custeados pelos contribuintes.  Aliás, o deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) está correto quando afirma que “a multiplicação de cargos em comissão é o maior programa de geração de empregos do governo Fábio Mitidieri”. Misericórdia!

Sergipe esquecido

Reportagem publicada no site da rede de TV CNN Brasil expõe “as principais festas juninas já confirmadas” para este ano. O fato interessante é que Sergipe não é citado. Aparecem com destaque na matéria os festejos de Caruaru (PE), Campina Grande (PB), Votorantim (SP), Parque Ibirapuera (SP) e São Luís (MA). Ressalte-se que o governo Mitidieri já anunciou a nossa programação junina, propagando que Sergipe terá os festejos mais animados do Brasil. Pelo visto, a divulgação do evento sergipano ainda não começou a ser feita fora do estado. Marminino!

Apagou velinhas

O Tribunal de Contas de Sergipe completou 54 anos no último dia 30. Neste mais de meio século, o TCE funcionou mais como um biombo político do que como um órgão técnico auxiliar da Assembleia. Alí, quase todos os conselheiros têm herdeiros com mandatos legislativos, enquanto muitos políticos aboletam familiares em bem pagos cargos comissionados. Nada demais para uma instituição nascida de uma jogada do ex-governador Lourival Baptista. Dizem as más línguas que o político criou o TCE para colocar na presidência o vice Manoel Cabral Machado, que ele não queria como seu substituto no governo. Crendeuspai!

Mal na fita

Sergipe está entre os piores estados do Brasil quando o assunto é educação de qualidade. Reportagem assinada por Rafael Vazquez no Valor Econômico mostra que, numa escala de zero a 10, a educação sergipana obteve apenas 4,6. Tomando como base o Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (Ioeb), elaborado pela Roda Educativa, o jornal paulista revela que pior do que Sergipe só Tocantins (4,6), Acre (4,5), Rio Grande do Norte (4,5), Pará (4,3), Amapá (4,2) e Maranhão (4,2). Danôsse!

Forrando a pança

O restaurante do Buraqueiro, contíguo ao mercado público do conjunto Augusto Franco, tem sido muito frequentado por políticos, comunicadores e cabos eleitorais. Todos vão alí para degustar um saboroso e bem nutrido café da manhã nordestino. Os políticos também aproveitam para medir a popularidade entre comerciantes e consumidores. Ontem, quem estava entre a clientela de o Buraqueiro era o presidente estadual do Solidariedade, Valadares Filho, que vem a ser assessor de Márcio Macêdo (PT), ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República. Então, tá!

Lorota política

Já notaram como os políticos deixaram de falar na promessa de construir o Canal de Xingó, visando beneficiar com água os sertanejos sergipanos? Os defensores do projeto deveriam explicar que para abrir os 300 quilômetros de canais na Bahia e em Sergipe serão necessários R$ 2,4 bilhões. Além de não existir recursos garantidos para a obra, não há vontade política do governo federal para fazer tamanho investimento no semiárido nordestino. Para se ter uma ideia, somente o anteprojeto da primeira etapa do Canal de Xingó foi avaliado em R$ 6,8 milhões. Portanto, tudo não passa de conversa mole pra boi dormir. Home vôte!

Festa pelos 15 anos

O Departamento Municipal de Transportes e Trânsito de Carmópolis está completando 15 anos de fundação nessa terça-feira. Para marcar a passagem da data, o diretor do DMTT, Wilton Torres, elaborou uma vasta programação, que inclui culto ecumênico, palestra e homenagem às autoridades locais que contribuíram para a melhoria do trânsito naquele município sergipano. Ah, bom!

Retrato da miséria

O número de beneficiários do Bolsa Família em Sergipe é maior que o de trabalhadores com carteira assinada. De acordo com reportagem do site de notícias Poder 360º, existem no estado 385.748 benefícios pagos pelo governo federal às famílias carentes, contra 329.562 empregos formais. A matéria ressalta que o levantamento excluiu o setor público. Essa situação de miserabilidade verificada em Sergipe se repete em todos os demais estados nordestinos. Só Jesus na causa!

Esqueceram a lambança

Alguém sabe qual o resultado da auditoria interna feita pela Secretaria-Geral da Presidência da República para apurar a lambança de dois assessores do ministro Márcio Macêdo (PT)? A dupla torrou dinheiro público para se divertir em nosso Pré-Caju? Quando a bomba estourou, o petista prometeu fazer uma investigação sobre a patacoada dos auxiliares, porém não se falou mais no assunto. Até os bolsonaristas no Congresso esqueceram de convocar Márcio Macêdo para explicar o passo em falso dos assessores na prévia carnavalesca de Aracaju. Arre égua!

Golpe nunca mais

Começa hoje e prossegue até amanhã o Seminário “60 anos do golpe militar de 1964”. Nesta segunda-feira pela manhã haverá no centro de Aracaju um ato público em defesa da democracia. À tarde e à noite, serão realizadas uma série de palestras no auditório da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Sergipe (Adufs). Para amanhã está programado um ato no restaurante da UFS para discutir a memória do golpe e as torturas ocorridas no Brasil durante os anos sombrios da ditadura militar. Participe!

Não acredite

Este 1º de abril é considerado o dia da mentira. A WikipédiA revela que a data começou a ser difundida em Minas Gerais, onde circulou o jornal “A Mentira”. De vida efêmera, o periódico foi lançado no 1º de abril de 1828, com a notícia do falecimento de Dom Pedro, desmentida no dia seguinte. “A Mentira” saiu pela última vez a 14 de setembro de 1849, convocando todos os credores para um acerto de contas no dia 1º de abril do ano seguinte, dando como referência um local inexistente. Será verdade? Aff Maria!

Recorte de jornal

 

 

 

 

 

Publicado no jornal aracajuano Folha de Sergipe, em 23 de janeiro de 1908.

Esta coluna é publicada pelos seguintes sites:  DestaquenotíciasInfonetFaxajuLuxoajuLeiamaisba, Espaço Livre e nos jornais online Zona Sul e EncontrAqui news.

É editor do Portal Destaquenotícias

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Leia também