Aracaju, 18 de julho de 2024
Search

Aliado do “sistema” e sem discurso, Alessandro seria um “cavalo de troia”? 

20

Com o discurso de ser “diferente dos iguais”, o então candidato a senador Alessandro Vieira (MDB) foi eleito de forma acachapante e surpreendente na eleição de 2018. Sua chegada ao Congresso Nacional despertou grande expectativa naquele momento pelo discurso repetitivo de combate à corrupção, por deixar transparecer que seria uma espécie de “vingador” no Senado da República na preservação do patrimônio público. Em síntese, Alessandro foi eleito com a narrativa de “independência política” se beneficiando da “onda” que elegeu o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Alinhado com o bolsonarismo, Alessandro jamais negava qualquer associação, até porque lhe era conveniente. Fazia parte do jogo! Em meados de 2020, quando o então ministro Sérgio Moro rompeu com Bolsonaro, talvez imaginando que o presidente da República não resistiria à pandemia e às falsas narrativas sobre as vacinas e sofreria um impeachment, Alessandro decidiu se declarar independente e até se alinhou com os partidos de Esquerda, inclusive do PT, que ele e Moro tanto condenaram antes, inclusive na campanha eleitoral.

Dali em diante, Alessandro passou a ser visto como “traidor” pelo eleitorado bolsonarista e com muita desconfiança pelos eleitores de Lula (PT), até porque, se tem uma coisa que a turma da política detesta é “cavalo de troia”! Depois de quatro anos muito desgastado já junto ao eleitorado sergipano, no 2º turno da eleição estadual, o senador largou mão da “independência”, abraçou a pré-candidatura de Fábio Mitidieri (PSD) para o governo e ainda emplacou sua apadrinhada política e delegada Danielle Garcia (MDB) na Secretaria de Políticas para as Mulheres.

Desde então, o senador passou a adotar uma postura mais “neutra”, seja em relação ao governo do Estado, seja em relação ao governo federal e, principalmente, sobre a gestão do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) em Aracaju. Um verdadeiro “abraço no sistema”, que ele tanto combateu antes de entrar na política partidária. Agora, atuando como “homem da confiança do governador”, e querendo emplacar a todo custo a indicação de Danielle Garcia para a PMA, Alessandro decidiu atacar quem se opõe ao seu projeto, mas que se posiciona melhor que sua pré-candidata.

Tentando ajudar Danielle Garcia a ter chances de chegar ao 2º turno, a impressão é que Alessandro Vieira parece decidido a incorporar o delegado de Polícia e passou a atacar adversários e até aliados, como o ex-deputado André Moura, que foi decisivo para a eleição de Mitidieri e cujo partido (União) tem sido fundamental para garantir a governabilidade. Tudo para tentar atingir a pré-candidata e deputada federal Yandra Moura. O senador, assim como Danielle, perdeu o discurso e agora tenta chamar a atenção do eleitorado que já lhe olha com desconfiança…

Agora, como perguntar não ofende, diante de tantos ataques distorcidos e desesperados, e já atuando como delegado/senador, querendo prender os políticos adversários, sem o apoio dos bolsonaristas e petistas, seria Alessandro Vieira um “cavalo de troia” dentro do governo Mitidieri com o intuito de dar uma espécie de “troco” mais adiante? Logo o senador que combatia tanto o governo Jackson Barreto e “silenciou”, recentemente após o ex-governador se reaproximar de Fábio? Seria uma “indignação seletiva” ou será que tudo parte de uma “trama” bem articulada? É coisa na política de Sergipe…

Veja essa!

Em entrevista ao radialista George Magalhães, que agora também está atuando fortemente na cobertura política de Itabaiana, Alessandro Vieira disse que a polícia vai investigar e prender o responsável por supostos “disparos em massa” nas redes sociais questionando sua atuação política.

E essa!

Alessandro disse que o suposto responsável teria contratado uma empresa do Rio de Janeiro e que a polícia de Sergipe vai atuar. Quem ouviu a fala do senador ficou com uma dúvida: quem falava na entrevista? O governador Fábio Mitidieri? O vice-governador? Ou foi o Secretário da Segurança Pública? Nenhum deles, mas o novo “homem forte do governo”! É mole?

Mi-mi-mi de Amorim

Sobre a polêmica dos móveis não devolvidos do PSDB, Alessandro disse que o ex-senador Eduardo Amorim fica de “mi-mi-mi” em emissora de rádio dizendo que tem patrimônio do partido para receber. “Tem meses que a gente tenta entregar, computador velho, móvel, tá tudo lá no galpão! E Amorim me disse que não tem condições de receber. Agora vai no jornal e no rádio ficar miando (SIC) dizendo que não entregam para ele. Eu vou interpelar pela Justiça para que ele receba”.

Pesquisa TV Atalaia I

A TV Atalaia contratou e divulgou, na noite dessa terça-feira (11), uma pesquisa do Instituto Real Time Big Data para prefeito de Aracaju, ouvindo 1 mil pessoas, entre os dias 8 e 10 de junho. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos e o índice de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada junto à Justiça Eleitoral sob o número SE 02812/2024.

Pesquisa TV Atalaia II

Na estimulada, a vereadora Emília Corrêa (PL) lidera com 26%, seguida de Yandra Moura com 13%; em terceiro lugar surge a delegada Danielle Garcia com 11%; em seguida Fabiano Oliveira com 7%, Luiz Roberto (PDT) com 5%, José Paulo (Novo) com 1%, Niully Campos (PSOL) com 1% e Candisse Carvalho (PT) com 1%. 17% votariam em branco ou nulo e 18% não sabe ou não responderam.

Pesquisa TV Atalaia III

Na avaliação deste colunista, a liderança de Emília Corrêa é evidente, mas nos levantamentos que são realizados revelam que ela parece estagnada no seu “teto” particular; com a consolidação de Yandra em segundo, estaria configurado o 2º turno mais previsível.

Pesquisa TV Atalaia IV

Chama a atenção, também, a fragilidade da pré-candidatura de Luiz Roberto, mesmo com os apoios do prefeito Edvaldo Nogueira e do governador Fábio Mitidieri. 5% é a consolidação do “cansaço administrativo”. Outro “desastre” parece ser a pré-candidatura do PT com apenas 1% na capital.

Olha o Sebrae!

A superintendente do Sebrae Sergipe, Priscila Felizola, embarcou com os prefeitos sergipanos que irão concorrer ao prêmio do Sebrae Nacional Prefeitura Empreendedora. 260 gestores municipais estão concorrendo. Na etapa estadual se classificaram os prefeitos Danilo Carvalho de Itabaianinha (Cidade Empreendedora); Vagner Costa de Moita Bonita (Compras Governamentais); Adinaldo Santos de Indiaroba (Inclusão Produtiva);

Mais prefeitos!

Também concorrem Valberto Oliveira de Propriá (Sala do Empreendedor); Marcell Souza de Campo do Brito (Empreendedorismo na Escola); Mário Conserva de Muribeca (Simplificação & Fomento ao Emprendedorismo); Eraldo de Andrade de Boquim (Sustentabilidade & Meio Ambiente); e Weldo Mariano de Canindé do São Francisco (Turismo & Identidade Territorial).

Risco zero

Em entrevista ao radialista Jaílton Santana, o governador Fábio Mitidieri reafirmou seu compromisso com a histórica pauta do adicional de periculosidade, ao dizer que havia “risco zero” de a periculosidade ser novamente incorporada ao subsídio. O governador respondeu a um questionamento do Sargento Moraes, um dos líderes do Movimento Polícia Unida.

Periculosidade

O Governador Fábio Mitidieri explicou que incorporar a periculosidade seria ensejar uma nova reivindicação pelo adicional no futuro, independente de haver a soma do seu valor ao subsídio, deixando claro que não repetiria erros passados, criando problemas para si mesmo ou para o governante da ocasião.

Sargento Moraes

O Sargento Moraes frisa que o adicional de periculosidade é um imperativo constitucional, e suprimi-lo seria um retrocesso jurídico, social e político inaceitável. O Sargento Moraes também deixou claro que o Movimento Polícia Unida está mais vivo do que nunca, vigilante, e que confia inteiramente na sensatez, na competência e na palavra empenhada do governador Fábio Mitidieri.

Georgeo Passos I

O ano era 2013. O então governador Marcelo Déda anunciava as obras para ampliação da adutora do Alto Sertão, ligando os municípios de Nossa Senhora da Glória e Moita Bonita. O empreendimento levaria água para vários municípios da região, resolvendo o constante problema de abastecimentos. Mais de 10 anos depois, três contratos rescindidos, e já com o terceiro governador pós-Déda, a obra até hoje não foi entregue. O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) quer explicações da Deso e do Governo do Estado sobre quais as razões para essa morosidade.

Georgeo Passos II

“Acho que o Governo e a Deso devem uma explicação para o povo, principalmente os das cidades de Nossa Senhora da Glória, Dores, Aparecida, São Miguel do Aleixo, Ribeirópolis e Moita Bonita, que se beneficiariam com essa adutora. Quantos governadores passaram e não resolveram isso?”, criticou. No início de 2023, Georgeo chegou a ter uma reunião com o atual governador, Fábio Mitidieri, para pedir que a ampliação finalmente fosse concluída. Mas até o momento, nada de concreto foi feito. “A impressão é que não há interesse que uma obra tão importante ande”, lamenta.

Jorge Araújo

“Realmente, digna de elogios a reforma e ampliação do novo Aeroporto Santa Maria, de Aracaju. Fica uma reivindicação e uma sugestão: seria importante que o aeroporto contasse também com uma farmácia para atender não só os passageiros como também as comunidades daquela área, como do Conjunto Santa Tereza. Seria de muita utilidade”. O apelo é do ex-deputado estadual Jorge Araújo.

Diêgo Prado I

Em São Cristóvão, a popularidade e a experiência podem definir quem será o próximo prefeito da cidade. As duas principais opções dos eleitores sancristovenses são o ex-secretário municipal e vereador por três mandatos seguidos, Diêgo Prado, e o baiano Júlio Júnior, escolhido por Marcos Santana para a sua sucessão. O vereador Diêgo Prado tem uma história de vida na cidade de São Cristóvão. Quando criança, Diêgo morou na rua da Feira Velha, na sede do município, e estudou nos colégios Imaculada Conceição, Semente do Saber e Modelo de Aplicação.

Diêgo Prado II

Diêgo aprendeu a cuidar das pessoas em casa, com a sua mãe, que é assistente social e já trabalhou como coordenadora de uma escola, e com seu pai, que já foi vice-prefeito e também vereador de São Cristóvão. Diêgo conta que assim começou o seu interesse em desenvolver a vocação de cuidar das pessoas e da cidade. “Eu acredito que Deus tem um propósito para a vida de cada um, por isso eu entrei na política como vereador, fui secretário municipal, voltei para a Câmara e agora quero ser prefeito da nossa cidade. Deus me deu essa vocação de cuidar das pessoas, eu já faço isso há muito tempo e agora quero expandir para a cidade toda”, afirma Diêgo.

Diêgo Prado III

Em 2012, Diêgo venceu a sua primeira eleição para vereador da cidade de São Cristóvão. Em seguida, assumiu a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, onde trabalhou para garantir a organização da cidade. Na eleição seguinte, Diêgo foi reeleito e escolhido presidente da Câmara Municipal de Vereadores. Em 2020, pelo partido Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Diêgo foi o vereador mais votado de São Cristóvão, com 1.426 votos.

Pré-candidato

Atualmente no Partido Social Democrático (PSD), Diêgo Prado é pré-candidato a prefeito da cidade de São Cristóvão com o desejo de trabalhar por uma cidade mais forte e desenvolvida. Na pré-campanha, Diêgo tem visitado os quatro cantos da cidade com o movimento ‘São Cristóvão que eu quero’, ouvindo as demandas das comunidades. Por onde passa, o vereador esbanja popularidade entre os moradores da Cidade Mãe.

UFS em Estância I

A semana começou com dois anúncios muito importantes para o estado de Sergipe: o município de Estância terá um campus da Universidade Federal de Sergipe, com investimento federal de R$ 60 milhões. E o Hospital Universitário de Lagarto será expandido, com o número de leitos duplicado. Esse segundo investimento do governo do presidente Lula é de R$ 50 milhões.

UFS em Estância II

Os anúncios foram feitos no Palácio do Planalto, em Brasília, em cerimônia com o presidente Lula, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, o sergipano Marcio Macedo, o ministro da Educação, Camilo Santana, a ministra da Ciência e Tecnologia, Luciana Santos e o ministro da Casa Civil, Rui Costa e ministra da Gestão , Esther Duek.

UFS em Estância III

Estância será a sétima cidade de Sergipe a contar com campus da UFS. Vão ser oferecidas 250 novas vagas em 6 cursos de graduação: Administração, Gestão Ambiental, Economia, Engenharia de Tecnologias Renováveis, Engenharia Química e Engenharia de Produção. Os cursos propostos foram pensados a partir dos aspectos sociais e econômicos, com foco no desenvolvimento das cadeias produtivas da região. Também há previsão de um núcleo de educação, responsável por disciplinas básicas e ações de suporte pedagógico a alunos e formação continuada de professores.

Olha a Agrese!

A Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Agrese) realizará, no dia 22 de julho, audiência pública para receber e discutir contribuições sobre a revisão do contrato de concessão de distribuição de gás canalizado no estado, a ser formalizada mediante termo aditivo. O evento ocorrerá das 9h às 13h, no auditório da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise). As inscrições para participar da audiência estarão abertas de 12 de junho, a partir das 8h, até 12 de julho, às 17h, no portal da Agrese.

Audiência Pública

Na audiência, serão discutidos diversos temas relevantes para a revisão do contrato de concessão. Entre os principais pontos estão a coerência do valor mínimo de 20% como retorno dos investimentos, e sua compatibilidade com metodologias como o Preço Médio Ponderado. Também será debatida a remuneração de 20% sobre os investimentos, considerando a adequação ao atual cenário econômico nacional.

Joaquim Casaca de Couro I

Ao visitar a Praça da Bandeira, o sindicalista e músico Joaquim Casaca de Couro, pré-candidato a vereador por Aracaju, constatou o abandono do espaço onde funcionava o Memorial da Bandeira, muito utilizado no passado por professores, alunos e demais cidadãos interessados em ampliar os seus conhecimentos.

Joaquim Casaca de Couro II

Fundado em 2004, o Memorial chegou a ser o único museu de bandeiras. “Este espaço, que hoje está completamente abandonado pela gestão municipal, abrigava um acervo de bandeiras de todos os estados brasileiros, dos municípios, além da história de Sergipe. Inclusive, havia uma maquete e profissionais guiando a visita dos alunos, que vinham em excursões e podiam aprender mais sobre os mais variados aspectos do nosso estado”, ressaltou Joaquim Casaca de Couro.

Joaquim Casaca de Couro III

Na avaliação do pré-candidato, é preciso investir na manutenção e criação de espaços como o Memorial da Bandeira. “Não podemos deixar espaços como este, abandonados, pois eles são importantes instrumentos de valorização da nossa história”, afirmou. “Vale destacar ainda que uma educação de qualidade vai além das salas de aula. Por isso, é fundamental oferecer espaços alternativos que apoiem os professores e permitam a implementação de aulas inovadoras e diferenciadas”, finalizou Joaquim Casaca de Couro.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

Leia também