Aracaju, 18 de julho de 2024
Search

VIGILÂNCIA SANITÁRIA ORIENTA SOBRE CUIDADOS COM OS ALIMENTOS DURANTE OS FESTEJOS JUNINOS EM SERGIPE

Para garantir a segurança da população quanto ao consumo de alimentos durante os festejos juninos, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Vigilância Sanitária, orienta os forrozeiros sobre os cuidados com os alimentos a serem consumidos durante os eventos. Entre as principais recomendações, estão a correta higiene das mãos, utensílios e superfícies de preparo, a manutenção dos alimentos perecíveis em temperaturas seguras, e a atenção especial ao manuseio de carnes e derivados.

“Primeiro é importante salientar que nós, fiscais da Vigilância Sanitária Estadual, estaremos presentes todos os dias no Arraiá do Povo, inspecionando e orientando os ambulantes e estabelecimentos para o fornecimento de alimentos seguros. Ainda assim, os consumidores devem estar atentos às condições de higiene e limpeza do local e seus manipuladores, os mesmos devem estar com toucas e não utilizar adornos como brincos, anéis e pulseiras, prestar atenção de como os alimentos estão sendo preparados e armazenados”, reforçou a fiscal sanitária estadual, Michelli Rios.

Alguns cuidados devem ser priorizados quando o assunto é alimentação. Por isso, o nutricionista e fiscal de alimentos Ricardo Macena dá algumas dicas para os turistas e sergipanos. “É necessário se atentar aos alimentos, como a cor, o cheiro e sabor. Qualquer alteração de alguma dessas três características já busque informações junto à administração do estabelecimento. Prefira sempre molhos em unidades individuais, os famosos sachês, pois os molhos que são disponibilizados em bisnagas podem estar estragados por estar fora dos refrigeradores. As bebidas não devem ser armazenadas em contato direto com o piso. E no caso dos drinks, o gelo utilizado deve ser fabricado com água potável e não ser o mesmo usado na conservação de bebidas ou alimentos”, explicou o nutricionista.

Para o consumidor que usa produtos de vendedores ambulantes, o conselho é utilizar pratos, talheres e copos descartáveis; evitar alimentos fora da embalagem original e sem prazo de validade; observar a limpeza, conservação e organização da barraca e dos utensílios; se o vendedor está de uniforme limpo e proteção no cabelo; ver se o lixo da barraca está em recipiente com tampa; e só consumir molhos em sachês.

População aprova
“Como eu tenho um estômago fraco, acho muito necessário que a Vigilância esteja por aqui, orientando os donos dos estabelecimentos na parte que nós, consumidores, não temos acesso. Além do trabalho deles, temos que fazer nossa parte também e seguir algumas dicas, como cheirar o alimento, ver o local onde compramos a nossa comida”, contou a administradora Ana Tereza, de 60 anos.

A aposentada Magali Lobo, de 71 anos, que veio para a Vila do Forró para comer com a família, aprovou os serviços da equipe.  “Já é a segunda vez que venho para a vila com meu esposo e netos. Eu não vou para os shows, mas venho para aqui porque é um lugar muito acolhedor, que possui muitas comidas típicas. Me sinto muito segura ao saber que a Vigilância Sanitária está realizando a fiscalização dos alimentos, pois ninguém merece passar mal depois”, disse Magali.

Atuação da Vigilância
Em Sergipe, a Vigilância Sanitária atua em diversas áreas para orientação e supervisão, seja de alimentos, serviços de saúde, medicamentos, cosméticos e a saúde ambiental. Em casos de festas, a Vigilância Sanitária possui o papel de fiscalizar os estabelecimentos e alimentos que estão sendo comercializados no ambiente.

A fiscalização possui caráter de prevenção para um melhor funcionamento dos serviços como estrutura física, organização e higienização das áreas de manipulação de alimentos; fluxo de drenagem das águas pluviais a fim de evitar empoçamentos; uso de equipamento de proteção individual como toucas, luvas, sem brincos, anéis, correntes, pulseiras, etc.

 

Leia também